Cidades Polícia de SP prende mulher por participação em assalto de Criciúma

Polícia de SP prende mulher por participação em assalto de Criciúma

Encontrada na zona sul de SP, ela foi presa pelos crimes de posse ilegal de armas e tráfico de drogas. Todos os objetos foram apreendidos

  • Cidades | Do R7

Mulher foi encontrada na zona sul de São Paulo

Mulher foi encontrada na zona sul de São Paulo

Divulgação

A Polícia Civil de São Paulo prendeu na manhã desta quarta-feira (2), na zona sul da capital paulista, uma mulher pela participação no assalto de uma quadrilha a uma agência bancária em Criciúma (SC), que resultou em trocas de tiros com policiais militares na madrugada de terça (1º). Ela foi presa por crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de armas de fogo.

Segundo o boletim de ocorrência do 25º Distrito Policial, de Parelheiros, obtido pela Record TV, os investigadores receberam informações de que uma pessoa envolvida no crime em Criciúma estaria no Jardim Reimberg, na zona sul de São Paulo.

Feitas as diligências no local indicado, os policiais encontraram uma grande quantidade de de cartuchos de fuzil calibre 7,62 mm, dois carregadores de pistola calibre 9mm, seis tijolos de cocaína, dez telefones celulares, uma caixa contendo espoletas de acionamento de explosivos, um saco de tecido, conhecido por "saco de campanha",  duas bolsas de viagem e uma bolsa de viagem cor azul aparentando ser um porta-fuzil.

A mulher foi presa em flagrante e todos os objetos foram apreendidos.

Criciúma foi alvo de ataque criminoso

Criciúma foi alvo de ataque criminoso

Guilherme Hahn/EFE - 01.12.2020

Equipes seguem em busca da quadrilha

Ao menos sete equipes do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) estão mobilizadas no sul do país em busca da quadrilha que fugiu após o assalto ao banco em Criciúma. As informações são do repórter Osvaldo Sagaz.

As equipes fazem as buscas mais uma vez, a partir de novas informações sobre possíveis paradeiros dos suspeitos. Há bloqueios feitos pela polícia na divisa entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul.

Últimas