Cidades Pollyanna Dutra lamenta vazio diplomático em que o Brasil se encontra

Pollyanna Dutra lamenta vazio diplomático em que o Brasil se encontra

Em pronunciamento realizado na manhã desta terça-feira (16) durante a 5ª Sessão Ordinária da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), a deputada estadual Pollyanna Dutra lamentou o que ela chamou de “vazio diplomático”, no qual o Brasil se encontra. Para a parlamentar, ver o Brasil se transformar em uma ameaça sanitária global ao redor do mundo […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Foto: Divulgação

Em pronunciamento realizado na manhã desta terça-feira (16) durante a 5ª Sessão Ordinária da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), a deputada estadual Pollyanna Dutra lamentou o que ela chamou de “vazio diplomático”, no qual o Brasil se encontra. Para a parlamentar, ver o Brasil se transformar em uma ameaça sanitária global ao redor do mundo deixa um sentimento de vazio, sobretudo em meio àqueles que estão enfrentando a pandemia na linha de frente. A deputada ainda destacou os esforços dos profissionais de saúde e se solidarizou com as perdas vivenciadas na Paraíba e no Brasil ao longo do último ano.

“Primeiramente destaco que estive conversando com profissionais de saúde, principalmente do Sertão, e tenho sentido que a sensação é de derrota. São profissionais esgotados, que sentem que não conseguem mais salvar vidas. Nossos profissionais estão deprimidos com tantas mortes de pessoas próximas e isso faz com que limite até o senso de autoestima dos profissionais para com os pacientes. Minha solidariedade e força a todos esses companheiros que não estão medindo esforços nessa batalha”, comentou.

Pollyanna Dutra pontuou que o Brasil foi, por muito tempo, palco das soluções mundiais, com assentos na Organização das Nações Unidas (ONU) e na Organização Mundial da Saúde (OMS), mas hoje é excluído. “O Brasil se transformou em uma ameaça sanitária global, o mundo nos teme. Ocupamos, infelizmente, a 2ª posição em número de mortes e somos o 2º país com mais restrições de entrada. Éramos vistos como um país turístico, bonito, solidário, de gente cordial, mas hoje somos um reservatório do vírus, com cepas novas circulando. É algo muito difícil, encarar isso e ver integrantes do governo insultando países-chave nessa luta. Isso interfere tanto nas relações comerciais como nas relações científicas e diplomáticas”, lamentou.

A parlamentar ainda pontuou que o Sistema Único de Saúde (SUS), por mais que esteja lutando para dar respostas nesse momento, tem seus limites, motivo pelo qual ela pediu unidade das lideranças políticas e da população em prol de um mesmo ideal. “Parabenizo a força e a determinação do governador João Azevedo e do secretário Geraldo Medeiros pelas ações realizadas, mas destaco que não basta o decreto governamental. É necessário que reflitamos a respeito das lições que estamos aprendendo e das lições que estamos deixando nesse momento. Peço solidariedade a todos nesse sentido e deixo meus sinceros sentimentos ao povo da nossa Paraíba e do nosso Brasil por tanta dor que temos vivenciado”, finalizou.

Últimas