Portal Correio Acusados do assassinato do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, serão levados a júri popular

Acusados do assassinato do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, serão levados a júri popular

Acusados da morte do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira de Sousa, serão levados a julgamento pelo Tribunal do Júri da Comarca da Capital, conforme decisão da juíza Andréa Carla Mendes Nunes Galdino. Os réus são José Ricardo Alves Pereira, apontado como mandante; Gean Carlos da Silva Nascimento, suposto intermediador/facilitador; e Leon Nascimento dos Santos, acusado […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Expedito Pereira (Foto: Arquivo/Jornal Correio da Paraíba)

Acusados da morte do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira de Sousa, serão levados a julgamento pelo Tribunal do Júri da Comarca da Capital, conforme decisão da juíza Andréa Carla Mendes Nunes Galdino. Os réus são José Ricardo Alves Pereira, apontado como mandante; Gean Carlos da Silva Nascimento, suposto intermediador/facilitador; e Leon Nascimento dos Santos, acusado de ser o executor. Confira aqui a decisão na íntegra, da qual cabe recurso.

O assassinato ocorreu no dia 9 de dezembro de 2020, por volta das 9h, na Avenida Sapé, no bairro de Manaíra, localizado na Zona Leste de João Pessoa. O Ministério Público, ao elaborar as alegações finais, sustenta que a vítima foi atacada de surpresa, enquanto caminhava distraída, sem possibilidade de defesa.

“No caso em análise, a edificação fático-probatória, submetida ao contraditório judicial, aponta para a viabilidade da acusação e a existência de suficientes indícios de autoria da prática do delito doloso contra a vida de Expedito Pereira de Sousa”, destaca um trecho da decisão, acrescentando que as alegações da defesa dos acusados, acerca da ausência de provas para leva-los a júri, ou mesmo suas absolvições, no momento, não podem prosperar, diante dos elementos de prova trazidos para os autos.

Na decisão, a magistrada manteve a prisão preventiva dos réus para que aguardem detidos a decisão de possível recurso interposto, bem como o julgamento pelo Tribunal do Júri.

Últimas