Portal Correio Alguns clubes citados em processo da ‘Gol de Placa’ não existem ou estão inativos

Alguns clubes citados em processo da ‘Gol de Placa’ não existem ou estão inativos

Entre a lista dos clubes processados pelo Ministério Público, que aponta fraude no Programa Gol de Placa com prejuízos ao erário de mais de R$ 12,8 milhões, tem agremiações que não existem mais e outras que não estão em atividade no momento. De acordo com a lista, o Lucena Esporte Clube tem um débito atualizado […]

Portal Correio
Foto: Imagem ilustrativa/André Borges/Agência Brasília/Fotos Públicas

Entre a lista dos clubes processados pelo Ministério Público, que aponta fraude no Programa Gol de Placa com prejuízos ao erário de mais de R$ 12,8 milhões, tem agremiações que não existem mais e outras que não estão em atividade no momento.

De acordo com a lista, o Lucena Esporte Clube tem um débito atualizado no valor de R$ 205.040,85. Enquanto que o Paraíba Esporte Clube terá que devolver aos cofres públicos a quantia de R$ 497.997,64. Mas estes dois clubes não existem mais, se transformaram em São Paulo Crystal e Serra Branca, respectivamente.

O Atlético de Cajazeiras que deve o total de R$ 959.047,47 e o Santa Cruz de Santa Rita tem uma dívida com o Estado de R$ 263.019,14. Os dois clubes não estão em atividade atualmente. O Atlético foi rebaixado para a Segunda Divisão e o Santa Cruz não disputa competições oficiais a mais de cinco anos.

Agremiações se manifestam

Alguns dirigentes dos outros clubes citados no processo do Ministério Público da Paraíba se manifestaram. O presidente do Sousa, Aldeone Abrantes afirmou “Vamos ter acesso aos autos para sabermos realmente do que estamos sendo acusado”.

O presidente do Botafogo-PB, Alexandre Cavalcanti, garantiu que ainda não tinha se informado oficialmente. “Não tomei conhecimento ainda. Mas quem pode se pronunciar é o advogado do clube”.

Posteriormente, em nota, o clube afirmou que ainda não tem conhecimento da ação e que vai aguardar a citação para elaborar resposta e tomar alguma iniciativa. “O Belo teve a sua prestação de contas rigorosamente aprovada, sem qualquer nota de desvio dos recursos provenientes do Programa ‘Gol de Placa’, que é de extrema relevância para a sobrevivência do futebol na Paraíba”, completou o clube.

O representante do CSP, Josivaldo Alves, não concorda com algumas acusações generalizadas e promete estudar o processo para mostrar o direito do CSP, que procurou seguir as determinações do programa do governo.

Enquanto que, o Campinense Clube através do seu presidente Danylo Maia, “só pronunciamos diante de nova formalização. Nosso departamento jurídico está ficando a par de tudo”, afirmou o presidente Danylo Maia.

Mas o diretor jurídico do clube rubro-negro afirmou “O Campinense ainda não foi citado no processo. Quando formos formalmente notificados, nos posicionaremos nos autos”, afirmou advogado, Rembrandt Asfora.

O Portal Correio não conseguiu contato com os dirigentes de Auto Esporte, Desportiva Guarabira, Esporte de Patos, Internacional, Miramar, Nacional de Patos, Santa Cruz, Serrano e Treze.

Últimas