Portal Correio Antônia Fontenelle vira ré por crime de preconceito após falar ‘paraibada’

Antônia Fontenelle vira ré por crime de preconceito após falar ‘paraibada’

A atriz e youtuber Antônia Fontenelle se tornou ré em processo que a acusa de preconceito pelo uso do termo “paraibada”. O pedido foi feito pelo Ministério Público Estadual (MPPB), após ela ser indiciada pela Polícia Civil, e aceito pela Justiça da Paraíba no último dia 11 de maio. Fontenelle tem dez dias para apresentar […] The post Antônia Fontenelle vira ré por crime de preconceito após falar ‘paraibada’ first appeared on Portal Correio.

Antônia Fontenelle

Antônia Fontenelle

Portal Correio
Antônia Fontenelle foi indiciada pela Polícia Civil da Paraíba (Foto: Reprodução/Instagram)

A atriz e youtuber Antônia Fontenelle se tornou ré em processo que a acusa de preconceito pelo uso do termo “paraibada”. O pedido foi feito pelo Ministério Público Estadual (MPPB), após ela ser indiciada pela Polícia Civil, e aceito pela Justiça da Paraíba no último dia 11 de maio.

Fontenelle tem dez dias para apresentar defesa no caso, contados a partir da data de recebimento da notificação. A assessoria da acusada foi procurada pelo Portal Correio algumas vezes, por e-mail, desde que as denúncias foram formalizadas, mas não há respostas.

O caso

As declarações dela foram feitas após a prisão do DJ Ivis por violência doméstica foram consideradas preconceituosas e agressivas contra todos os paraibanos, em 2021.

Nas redes sociais, Fontenelle disse: “Esses paraíbas fazem um pouquinho de sucesso e acham que podem tudo. Amanhã vou contactar as autoridades do Ceará pra entender por que esse cretino não foi preso”.

Acompanhe a TV Correio na internet

Em seguida, a atriz foi duramente criticada e publicou um vídeo para tentar justificar o termo utilizado. “Paraíba eu me refiro a quem faz paraibada. Pode ser ele sulista, pode ser ele nordestino, pode ser ele o que for. Se fizer paraibada… é uma força de expressão”, falou, aparentemente sem se dar conta que o termo “paraibada” tem origem justamente no uso pejorativo da palavra Paraíba.

De acordo com a Polícia Civil, a conduta de Antônia Fontenelle está tipificada no artigo 20 da Lei nº 7716/1989, que criminaliza a prática, indução ou incitação à discriminação ou ao preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. Em caso de condenação, a pena prevista em lei é de reclusão de um a três anos e multa.

The post Antônia Fontenelle vira ré por crime de preconceito após falar ‘paraibada’ first appeared on Portal Correio.

Últimas