Seleção brasileira

Portal Correio Argentina sai de campo após fiscais da Anvisa interromperem jogo

Argentina sai de campo após fiscais da Anvisa interromperem jogo

Os jogadores da Argentina se retiraram de campo após um grupo de fiscais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) interromper o jogo contra o Brasil minutos depois do apito inicial. As autoridades de saúde pedem a retirada dos quatro jogadores que descumpriram os protocolos sanitários contram a covid-19: Giovani Lo Celso, Emiliano Martínez, Cristian Romero e Emiliano […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Confronto válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo foi suspenso aos 4 minutos (Foto: Reprodução/Twitter)

Os jogadores da Argentina se retiraram de campo após um grupo de fiscais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) interromper o jogo contra o Brasil minutos depois do apito inicial. As autoridades de saúde pedem a retirada dos quatro jogadores que descumpriram os protocolos sanitários contram a covid-19: Giovani Lo Celso, Emiliano Martínez, Cristian Romero e Emiliano Buendía.

O jogo foi interrompido logo aos quatro minutos de jogo, depois de paralisação por falta dentro de campo. Em primeiro momento, os agentes de saúde discutiram com o delegado da partida, mas na sequência entraram no gramado e tentaram retirar os atletas. Por conta do ocorrido, os jogadores argentinos se retiraram de campo e voltaram ao vestiário. Embaixadores da Argentina já chegaram ao estádio para tentar resolver a situação.

A CBF e a Conmebol chegaram a costurar um acordo com o governo brasileiro para liberar os atletas argentinos para o duelo contra o Brasil. No entanto, a decisão não passou pela Anvisa, que deciciu pela interrupção da partida para retirar o quarteto que descumpriu os protocolos contra a covid-19.

Nas redes sociais, o perfil oficial da seleção da Argentina afirmou que a partida contra o Brasil está suspensa. A Conmebol confirmou a informação.

Anteriormente, a Anvisa havia confirmado que os quatro jogadores não passaram pela quarentena obrigatória para viajantes que passam por Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia nos últimos 14 dias. Logo, os atletas não poderiam entrar em campo e a agência de saúde chegou a cogitar a deportação dos jogadores.

Segundo a Anvisa, os atletas argentinos descumpriram a portaria 655/2021, que, em seu artigo 8o, prega que “o descumprimento do disposto nesta Portaria implicará, para o agente infrator: I – responsabilização civil, administrativa e penal; II – repatriação ou deportação imediata; e III – inabilitação de pedido de refúgio.”

Últimas