Meio Ambiente

Portal Correio Associação denuncia crime ambiental na Área de Preservação Permanente do Maceió, na Praia do Bessa

Associação denuncia crime ambiental na Área de Preservação Permanente do Maceió, na Praia do Bessa

A Associação de Moradores e Ambientalistas do Jardim Oceania, em João Pessoa, protocolou denúncia junto ao Ministério Público Federal (MPF) sobre a exploração indevida da Área de Preservação Permanente do Maceió, na Praia do Bessa. Dentre os principais problemas, destacam-se o desmatamento e o acúmulo de lixo. Além disso, entulhos da construção civil foram utilizados […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Foto: Reprodução/TV Correio

A Associação de Moradores e Ambientalistas do Jardim Oceania, em João Pessoa, protocolou denúncia junto ao Ministério Público Federal (MPF) sobre a exploração indevida da Área de Preservação Permanente do Maceió, na Praia do Bessa.

Dentre os principais problemas, destacam-se o desmatamento e o acúmulo de lixo. Além disso, entulhos da construção civil foram utilizados para aterrar parte do espaço e transformá-lo em estacionamento. Segundo apuração da TV Correio, a ocupação irregular vem aumentando nos últimos meses. Em agosto, foi derrubado um muro que protegia a área, abrindo espaço para depósito de lixo domiciliar e entulhos.

“Pedimos que o Ministério Público Federal identifique quem é que pode fazer a governança desse espaço”, apelou o professor Jefferson Palmeira, que é membro da associação.

À TV Correio, o secretário de Meio Ambiente de João Pessoa, Wellison Silveira, explicou que o espaço é particular, mas, por ser classificado como Área de Preservação Permanente, não pode ser utilizado. Ele acrescentou que a Prefeitura é responsável por fiscalizar e notificar pessoas que cometem irregularidades. “De acordo com as denúncias, adotaremos medidas para coibir a prática de ocupação”, assegurou.

A Área de Preservação Permanente do Maceió compreende 5.200 metros quadrados e fica entre o mar e a Avenida Afonso Pena.

Últimas