Portal Correio Caso Anielle Teixeira: Suspeito muda versão, se declara inocente e diz que confessou crime sob tortura

Caso Anielle Teixeira: Suspeito muda versão, se declara inocente e diz que confessou crime sob tortura

O suspeito José Alex da Silva, de 35 anos, mudou sua versão sobre o caso Anielle Teixeira em audiência de custódia nessa quinta-feira (9) e passou a negar a autoria do assassinato da menina de 11 anos. Segundo o advogado de defesa, a confissão de José Alex à Polícia Civil ocorreu sob tortura. O suspeito […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
José Alex da Silva foi preso pela Polícia Militar de Pernambuco (Foto: Divulgação)

O suspeito José Alex da Silva, de 35 anos, mudou sua versão sobre o caso Anielle Teixeira em audiência de custódia nessa quinta-feira (9) e passou a negar a autoria do assassinato da menina de 11 anos.

Segundo o advogado de defesa, a confissão de José Alex à Polícia Civil ocorreu sob tortura. O suspeito afirmou que foi agredido por policiais militares de Pernambuco, onde foi preso na quarta (8). Em nota à produção da TV Correio, a PMPE negou ter cometido qualquer tipo de violência contra o suspeito.

Mesmo com a nova versão de José Alex, a juíza Andreia Carla Mendes Nunes Galdino decidiu manter a prisão preventiva e determinou que ele seja transferido para a Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1).

Entenda o caso

Anielle Teixeira sumiu de um quiosque na Praia do Cabo do Branco onde dormia com a família no último domingo. Imagens de circuitos de segurança da localidade mostram um homem conversando com a criança. Depois disso, a menina não foi mais vista. O registro foi feito às 4h37.

Segundo a mãe da criança, a família foi passear na praia no sábado e acabou dormindo em um colchão de um quiosque de um conhecido. A mãe informou que optou por passar a noite no estabelecimento, que está fechado para reforma, em razão do horário avançado e dos valores cobrados pelos serviços de transporte por aplicativo estarem muito altos.

O desaparecimento da menina só foi denunciado à polícia por volta das 20h. Na delegacia, mãe da Anielle Teixeira afirmou conhecer o suspeito, mas disse não saber detalhes da vida dele, como sobrenome, endereço ou profissão. De acordo com a Polícia Civil, a mulher passou o dia tentando descobrir o paradeiro da filha sozinha.

Nessa terça (7), chegou ao conhecimento da polícia que a mulher teve uma discussão com o homem considerado suspeito no caso. Ele reapareceu na praia com roupas diferentes das que usava no momento em que foi flagrado conversando com Anielle e foi confrontado pela mãe da menina. Uma pessoa que estava no local filmou a briga.

O corpo de Anielle Teixeira foi encontrado na madrugada dessa quarta-feira (8), em uma mata às margens do Rio Jaguaribe, na altura do bairro de Miramar. Análise preliminar da Polícia Civil no local apontou indícios de esganadura e violência sexual. O suspeito foi localizado e preso à tarde, em Ferreiros-PE. Ele, inicialmente, negava o crime.

No entanto, ao chegar à Central de Polícia Civil de João Pessoa, acabou confessando que matou Anielle. No depoimento, ele disse que ficou com raiva da menina depois que ela saiu em sua bicicleta sem pedir permissão. Ao encontrá-la, teria se descontrolado e a levado para o matagal. Lá, teria estrangulado a criança.

Mesmo quando assumia a autoria do assassinato, José Alex da Silva negava ter estuprado a vítima. Por outro lado, não sabia explicar por que o corpo da menina estava sem a parte de baixo das vestimentas. Ele alega que estava sob efeito de drogas no momento do crime.

O exame cadavérico que vai confirmar a causa e circunstâncias da morte de Anielle Teixeira começou nessa quinta-feira (9). O material biológico que possibilitará a comprovação da tese de estupro já foi coletado e está sob análise.

Últimas