Como implementar o Pix nas empresas?

Em tempos de crise como as que vemos para os empresários em geral, criar planos com diferenciais para atrair e consolidar parcerias e clientela é indispensável. Com a pandemia atual, muitos se adaptaram rapidamente aos meios digitais para manter a vendados seus produtos ou serviços, como o uso mais frequente de redes sociais ou migração […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio

Em tempos de crise como as que vemos para os empresários em geral, criar planos com diferenciais para atrair e consolidar parcerias e clientela é indispensável. Com a pandemia atual, muitos se adaptaram rapidamente aos meios digitais para manter a vendados seus produtos ou serviços, como o uso mais frequente de redes sociais ou migração para sites de forma a estabelecer negócios e se fazerem visíveis. E hoje um fator pode ser crucial quando o quesito é pagamento: a implementação do Pix.

Para se ter uma ideia, segundo o Banco Central do Brasil, até o fim de março deste ano o sistema de pagamentos Pix tinha mais de 206,6 milhões de chaves. Nesse período, mais de 1 bilhão de transações foram feitas, movimentando R$ 787,2 bilhões. Mas quais são os benefícios do Pix para quem é pessoa jurídica, Microempreendedor Individual ou possui uma pequena empresa e quer usar o sistema em suas vendas e compras?

O contador e professor Cristiano Rodrigues, coordenador dos cursos de Ciências Contábeis e Gestão Financeira do Unipê, reforça que esse meio de pagamentos, recebimentos e transferências de recursos financeiros tem ampla acessibilidade e custo zero. Daí uma primeira vantagem em relação à outras modalidades de transferência e pagamentos, como o TED, o DOC, cartões de crédito e débito ou boletos bancários: velocidade quase instantânea no recebimento dos valores e disponibilidade 24 horas por dia, todos os dias do ano, incluindo feriados.

“Segundo ponto é que evita vender com cartão de crédito, que na maioria das vezes tem taxas administrativas ou demora para receber. Terceiro, evita os boletos bancários, diminuindo a inadimplência.E quarto que como é interessante para o cliente, já que ele não precisa tirar o dinheiro no banco e nem precisa estar com o cartão de crédito.As empresas que optarem por venda via Pix terão um aumento significativo em suas vendas”, assegura.

Implementando o Pix

Para implementar o Pix na sua empresa, é importante, em primeiro lugar, criar uma conta jurídica, caso ainda não possua. Depois, baixe o aplicativo do banco no qual a empresa possui uma conta. Nesse aplicativo, você deverá criar a chave Pix do seu negócio. A ideia ainda é não usar muitas chaves, sendo indicado usar uma chave numérica ou um QR Code. “O CNPJ é o ideal”, reforça Cristano.

E não é preciso fazer uma grande busca por uma Instituição financeira para aderir ao sistema de pagamentos. “O Pix é um programa para todos os bancos. Não é uma ação do Banco. Desta forma, em todos os bancos as características são as mesmas”, explica o contador.

Além disso, não há custos para o cadastro do Pix e nem para pagamentos e recebimentos. Feito todo o processo, Cristiano aconselha divulgar a adoção do Pix para os clientes e fornecedores da empresa por diversos meios, como os orçamentos, a página da empresa ou por e-mail. “E redes sociais, em especial”, pontua.

Últimas