Portal Correio Corregedoria identifica policial que apontou arma para motoboy durante protesto na Capital

Corregedoria identifica policial que apontou arma para motoboy durante protesto na Capital

A Corregedoria da Polícia Militar identificou como um policial do 1º Batalhão o homem que intimidou o grupo que cobrava justiça no caso da morte do motoboy Kelton Marques, na noite dessa terça-feira (21), em João Pessoa. Imagens que circulam nas redes sociais mostram quando um homem aponta uma arma para um dos manifestantes e […]

Portal Correio

A Corregedoria da Polícia Militar identificou como um policial do 1º Batalhão o homem que intimidou o grupo que cobrava justiça no caso da morte do motoboy Kelton Marques, na noite dessa terça-feira (21), em João Pessoa.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram quando um homem aponta uma arma para um dos manifestantes e é contido por militares. A conduta do profissional, que estava em horário de folga, será apurada pela instituição.

De acordo com o corregedor auxiliar da PM, coronel Severino do Ramo Gerônimo, o militar alegou que estava passando pelo local do protesto com a esposa e o filho, um bebê, e foi impedido de seguir o percurso pelos manifestantes.

“Ele disse que desceu do carro e, por instinto, pensando que estava sofrendo uma agressão injusta, sacou uma arma de fogo”, disse, em entrevista à Rede Correio Sat.

O corregedor auxiliar destacou que o policial foi rapidamente contido por profissionais do Batalhão de Motos que acompanhavam o protesto. Em seguida, ele acabou liberado pelos companheiros de farda. No entanto, o coronel Severino do Ramo Gerônimo determinou que fosse feito um relatório da ocorrência.

“Esse material, incluindo o vídeo, passará por análise e pode culminar em uma sindicância. Por enquanto, a investigação é preliminar”, disse. “Peço para que pessoas que se sentiram ameaçadas pelo policial procure a corregedoria. Nós lamentamos o que aconteceu, mas estamos prontos para apurar e dar resposta a sociedade”, concluiu o corregedor auxiliar da PM.

O protesto

A manifestação desta terça-feira foi a terceira realizada por motoboys da Capital desde a morte de Kelton Marques, de 33 anos. A concentração do protesto foi no cruzamento das avenidas Miriam Barreto Rabêlo e Flávio Ribeiro Coutinho (Retão de Manaíra), local onde Kelton foi atingido e morto por um carro a 163 km/h no dia 11 de setembro. O condutor, Ruan Ferreira de Oliveira, está foragido.

Do local da concentração, os motoboys saíram em comboio até a Central de Polícia Civil, no bairro do Geisel, fechando todas as ruas por onde passavam. A confusão envolvendo o policial militar aconteceu na bifurcação das avenidas Epitácio Pessoa e Ruy Carneiro.

Últimas