Docente do Unipê recebe voto de aplauso da CMJP

Como reconhecimento pelos trabalhos feitos na V Semana do Patrimônio Cultural Unipê, a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) concedeu um voto de aplauso à historiadora e jurista Mirella Braga. Professora mestra dos cursos de Direito e de Serviço Social do Unipê, Mirella é organizadora do evento e coordenadora do projeto de extensão “Patrimônio Cultural: […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio

Como reconhecimento pelos trabalhos feitos na V Semana do Patrimônio Cultural Unipê, a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) concedeu um voto de aplauso à historiadora e jurista Mirella Braga. Professora mestra dos cursos de Direito e de Serviço Social do Unipê, Mirella é organizadora do evento e coordenadora do projeto de extensão “Patrimônio Cultural: interfaces do saber”, que dá origem à Semana. A placa concedida foi proposta pelo vereador da CMJP Marcos Henriques.

A quinta edição do evento promovido anualmente pela professora Mirella discutiu questões relacionadas aos Direitos Humanos, ao Patrimônio, às Cidades e ao Território. “Os valores que vêm da representação da CMJP, por meio do vereador Marcos, são uma proposta de verificar que o nosso trabalho tem um impacto social para vida das pessoas e o cotidiano de João Pessoa. Então eu só tenho a agradecer e seguir”, disse a Profa. Ma. Mirella.

Marcos Henriques considera que a capital paraibana tem uma história e um patrimônio histórico muito ricos, mas pouco explorados. “Quando vemos uma iniciativa de uma professora preocupada em resgatar o patrimônio histórico de João Pessoa e debater as nossas raízes, nós temos que aplaudir”, comemorou.

O projeto de extensão que dá origem à Semana do Patrimônio Cultural Unipê faz um mapeamento urbano e social das comunidades tradicionais de João Pessoa. E ainda leva para essas referências de Direito Cultural e do Direito à Cidade, entre outros. “Além de quais são as possibilidades que, a partir dos artigos 215 e 216 da Constituição Brasileira, a gente verifica e entende o patrimônio, as marcas e identidades das comunidades”, ressalta Mirella.

O vereador Marcos se disse feliz pela liberdade do corpo acadêmico estar envolvido em questões da cidade, como o Plano Diretor. “É muito importante o engajamento do Unipê para que, com as suas ideias, não só os professores, mas os alunos que estão estudando Arquitetura e Urbanismo no Brasil, possam se envolver com o Plano Diretor.”

Para a reitora do Unipê, Profa. Dra. Mariana de Brito, o voto de aplauso demonstrou o compromisso social que as pessoas que atuam no Centro Universitário têm com a missão institucional de transformação social. “É ultrapassar os muros da academia e fazer com que possamos promover um processo de mudança nas comunidades, nas populações que estão no entorno da Instituição. A professora Mirella que realiza essa atividade, por meio do seu projeto de extensão, nos honra ao permitir o efetivo cumprimento do nosso papel social”, ponderou.

Semana do Patrimônio Cultural

A Semana é realizada desde 2017, quando nasceu no curso de Arquitetura e Urbanismo do Unipê o projeto “Patrimômio Cultural: interfaces do saber” – hoje o projeto está vinculado ao curso de Direito. O evento registra o Dia do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 17 de agosto, funciona como um espaço aberto de discussão da grande temática.

Nesta quinta edição, mais de 180 ouvintes de diversos lugares da Paraíba e fora da Paraíba participaram de forma síncrona. “A gente vem agrupando o Ministério Público Federal, a Defensoria Pública e os agentes do Iphaep e do Iphan para somar a esse projeto. A responsabilidade é grande, mas a gente sabe que tem desenvolvido isso dentro da cidade”, conclui Mirella.

Últimas