Portal Correio Fórum inicia discussão sobre retomada do crescimento econômico na Paraíba no pós-pandemia

Fórum inicia discussão sobre retomada do crescimento econômico na Paraíba no pós-pandemia

O ‘Fórum Caminhos da Retomada’ realiza nesta terça-feira (10) seu primeiro encontro para discutir a retomada do crescimento econômico na Paraíba, levantando as sugestões do setor produtivo, das universidades e da sociedade civil. O Fórum será realizado no auditório do IPSEM (Previdência Social) de Campina Grande, às 10h. Organizado pelo deputado estadual Tovar Correia Lima, […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Tovar Correia Lima | Foto: Divulgação

O ‘Fórum Caminhos da Retomada’ realiza nesta terça-feira (10) seu primeiro encontro para discutir a retomada do crescimento econômico na Paraíba, levantando as sugestões do setor produtivo, das universidades e da sociedade civil. O Fórum será realizado no auditório do IPSEM (Previdência Social) de Campina Grande, às 10h.

Organizado pelo deputado estadual Tovar Correia Lima, de forma suprapartidária, a iniciativa será lançada na Rainha da Borborema e, de lá, percorrerá municípios polos das macrorregiões paraibanas, a exemplo de Patos, Cajazeiras, Monteiro, Guarabira e João Pessoa.

Participarão das discussões instituições como a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Universidade Estadual de Campina Grande (UFCG), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Associação Comercial de Campina Grande (ACCG), Câmara dos Dirigentes Logistas de Campina Grande (CDL-CG), Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Indústria de Fabricação do Alcool (SindAlcool), a Associação dos Plantadores de Cana-de-açúcar do Estado da Paraíba (Asplan), a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep) e a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB).

“É papel desse debate estabelecer como entrega principal um plano de ação que compreenda as singularidades de cada região da Paraíba, estabelecendo com inquestionável base científica um calendário de ações para a análise e execução do Governo do Estado. Entendemos que as alternativas de retomada precisam considerar as vocações próprias de cada local. O Caminho da Retomada vai percorrer cidades estratégicas das principais regiões do estado”, destacou Tovar.

O deputado explicou que em cada local o fórum coletará colaborações para elaboração de um relatório, contendo os principais eixos de desenvolvimento e suas prioridades. A previsão é que isso aconteça até o dia 21 de setembro, quando os representantes do Fórum entregarão o documento ao governador do Estado e demais entes – contendo soluções de curto, médio e longo prazo para cada segmento.

Fórum

O Fórum ‘Caminhos da Retomada’ é um espaço para discussão e um verdadeiro chamamento para as entidades de classe, o setor produtivo e comercial – e demais agentes – colaborarem na construção de um plano de ação que deverá conter os anseios de cada região da Paraíba, no tocante às questões de incentivo fiscal, abertura de novas empresas, recuperação para as empresas que foram afetadas pela pandemia, renegociação de passivos, abertura de crédito, fomento à qualificação de mão de obra, novos mercados, e-commerce, (re) inserção da mulher e do jovem na empregabilidade e educação financeira para empreendedores.

Dados

A taxa média de desocupação na Paraíba foi recorde em 2020, passando de 11,6% em 2019, para 14,6% no último ano, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD C), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a PNAD C Trimestral do IBGE, a taxa de desocupação na Paraíba foi de 15,8% no 1º trimestre deste ano, com cerca de 250 mil pessoas nessa situação. O indicador foi o 10º maior do país e ficou acima da média nacional (14,7%), embora tenha sido menor que a média do Nordeste (18,6%).

Entre as mulheres no estado, em 2020 a taxa de desemprego chegou a 17,1%, com uma diferença de 5,3 pontos percentuais em relação aos homens, com uma proporção de 11,8%. Entre os jovens no Brasil, um estudo da Fundação Getulio Vargas aponta que a taxa dos que não trabalham nem estudam, os chamados ‘nem-nem’, cresceu na pandemia e bateu recorde de 29,33% no segundo trimestre de 2020.

Últimas