Portal Correio ‘Hazamat 10 anos’: banda lança show online nesta quinta-feira (18)

‘Hazamat 10 anos’: banda lança show online nesta quinta-feira (18)

Faltam poucos dias para a estreia do show ao vivo ‘Hazamat 10 anos’, que celebra a jornada de uma década da banda paraibana. A partir das 21h desta quinta-feira (18), o público poderá assistir gratuitamente no canal do YouTube da banda a gravação feita ao vivo na Casa Kaos, em João Pessoa. O especial, feito […]

Portal Correio
Hazamat

Hazamat

Portal Correio
(Foto: Rafael Passos/Divulgação)

Faltam poucos dias para a estreia do show ao vivo ‘Hazamat 10 anos’, que celebra a jornada de uma década da banda paraibana. A partir das 21h desta quinta-feira (18), o público poderá assistir gratuitamente no canal do YouTube da banda a gravação feita ao vivo na Casa Kaos, em João Pessoa. O especial, feito com recursos da Lei Aldir Blanc, será lançado também em formato digital de álbum em breve.

Canções presentes nos discos Hazamat (2011) e II (2015), além dos singles ‘Lobos de Caim’ e ‘Armação’, entraram no repertório do show, que tem 1h de duração. “Há muito tempo nós queríamos um registro de show inteiro ao vivo, com direito a disco nas plataformas musicais”, contou Diogo Egypto, vocalista e baixista da banda. Um dos destaques deste “ao vivo” é uma versão da música ‘Último Pau-de-Arara’, composta por José Palmeira Guimarães, pai de Pedro Guimarães, guitarrista da banda. A canção, gravada por artistas como Zé Ramalho, Luiz Gonzaga e Fagner, fazia parte do repertório de Hazamat ainda no começo da carreira. 

“Mesmo nosso aniversário de 10 anos tendo caído no meio da pandemia, nós conseguimos manter nossa relação entre banda e público através das lives de 2020. Então, com a contemplação da [lei de incentivo à cultura] Aldir Blanc, isso foi possível”, disse. 

Na campanha de lançamento do show, Diogo e os outros integrantes da banda lançaram uma série de vídeos no YouTube onde cada um relembra um momento marcante da carreira. “É engraçado, percebemos que nos outros anos da banda, não tínhamos parado para fazer uma análise, uma retrospectiva de tudo que aconteceu até agora. Mas atingir essa marca de 10 anos reativa memórias”, refletiu Egypto. 

“De alguma forma, lançar esse especial é um presente para nós mesmos. Por nossa insistência, teimosia em seguir tocando junto. Não é fácil ter uma mesma banda, um mesmo projeto com a formação inicial por tantos anos. Mesmo em momentos mais tumultuados, com PF morando em outra cidade, gravando discos à distância, e seguirmos tocando com outros bateristas, nós continuamos. Sabemos que é uma vitória simbólica.  Essa continuidade me orgulha muito”, concluiu. 

Quando idealizada, a comemoração da virada de década do quarteto de rock, formado por Diogo Egypto (vocal, baixo e synths), PF (bateria), Johnny Araújo (guitarra, vozes e synth) e Pedro Guimarães (guitarra e vozes), seria feita com o pé na estrada com uma turnê que circularia principalmente pelas capitais nordestinas. A banda, entretanto, não descarta a volta aos palcos em breve. 

Sobre a banda

Em atividade desde 2010, a Hazamat transita entre diversos territórios e gêneros musicais (hard rock, punk, pop, heavy metal, rock progressivo, MPB, entre outros) na busca por uma sonoridade predominantemente intensa e pesada, mas sempre abrindo espaço para passagens sutis e arranjos delicados. Com 2 discos na bagagem [Hazamat e II] e a realização de shows e turnês por diversos estados do Brasil, a banda lançou em 2019 dois singles (Armação e Lobos de Caim) que aliam vigor sonoro e discurso afiado, ao mesmo tempo em que apontam novas referências e caminhos musicais explorados pelo grupo paraibano.

As letras costumam trazer conteúdos políticos e críticas sociais à tona, além de abordar personagens e situações do cotidiano. Nas palavras do crítico Jesuíno André, em resenha do primeiro disco publicada no site Meus Sons, a banda consegue “ousar sem parecer estranho e nem estacionar na mesmice do lugar comum” e “as letras mostram uma postura inteligente, conciliada a uma poesia quase exuberante e certo discurso contestador escondido nas entrelinhas, sem as macaquices e a típica banalidade rocker, tão comum nos novos combos”. 

Para Ben Ami Scopinho, do site Whiplash, “seja distorcido, melódico ou melancólico, um dos grandes méritos do Hazamat é a preocupação no momento de construir suas letras. Todas em português, o pessoal tem as manhas em contar verdadeiras histórias de cunho humano (…), experiências e esperanças humanas como poucas bandas conseguem expressar”.

Últimas