Portal Correio Motorista de aplicativo que sumiu com mercadoria avaliada em R$ 10 mil é localizado e será investigado

Motorista de aplicativo que sumiu com mercadoria avaliada em R$ 10 mil é localizado e será investigado

O motorista de aplicativo suspeito de tentar se apropriar de uma mercadoria avaliada em R$ 10 mil em João Pessoa foi localizado pela Polícia Civil nessa quarta-feira (24) e será investigado. Ele devolveu todo o material. O caso policial teve início na terça-feira (23), quando uma microempreendedora contratou o serviço de entrega por aplicativo. O […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Cliente não conseguiu resposta do motorista sobre destino da mercadoria (Foto: Reprodução/TV Correio)

O motorista de aplicativo suspeito de tentar se apropriar de uma mercadoria avaliada em R$ 10 mil em João Pessoa foi localizado pela Polícia Civil nessa quarta-feira (24) e será investigado. Ele devolveu todo o material.

O caso policial teve início na terça-feira (23), quando uma microempreendedora contratou o serviço de entrega por aplicativo. O combinado era de que o motorista pegasse a encomenda e fizesse a entrega na casa da cliente.

Segundo ela, o motorista chegou até a porta de sua casa, mas encerrou a corrida sem entregar as mercadorias e foi embora. A microempreendedora, ainda, que entrou em contato com o motorista por mensagem, mas não obteve resposta. Ela localizou redes sociais do motorista e de amigos, mas nenhum dos contatos teve sucesso.

À TV Correio, a microempreendedora contou que havia investido todo o dinheiro dela na compra das mercadores. “É um sacrifício muito grande para manter minha loja. A única coisa que eu tinha era essa mercadoria. Eu não tenho mais nada. Eu estou muito triste porque não estou obtendo resposta”, disse, aos prantos.

Após a repercussão do caso, o motorista por aplicativo foi localizado pela Polícia Civil. De acordo com o delegado Carlos Othon, o homem negou a intenção de roubar a mercadoria e apresentou uma justificativa para não ter realizado a entrega. O motivo apresentado pelo suspeito não foi divulgado.

“Ele é um motorista cadastrado e esse foi um dos motivos que nos levou a não realizar a prisão em flagrante, e sim preferir ter a cautela de abrir um inquérito por portaria para poder esclarecer o fato em toda sua extensão”, disse o delegado, à TV Correio.

Ainda conforme Carlos Othon, o motorista já teve passagem na polícia pelo crime de roubo, mas isso já faz mais de cinco anos, o que faz dele, tecnicamente, uma pessoa sem antecedentes criminais.

Últimas