Portal Correio ‘Recitais Digitas’ apresenta o trabalho do Quinteto Parambuco

‘Recitais Digitas’ apresenta o trabalho do Quinteto Parambuco

A série ‘Recitais Digitais’, da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa (OSMJP), apresenta, neste sábado (2), um trabalho de música de câmara realizado pelo quinteto de sopros Parambuco, formado por dois instrumentistas que atuam na Orquestra atualmente, dois ex-integrantes, além de um membro da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB). O programa começa às 18h e […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Foto: Divulgação/Funjope

A série ‘Recitais Digitais’, da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa (OSMJP), apresenta, neste sábado (2), um trabalho de música de câmara realizado pelo quinteto de sopros Parambuco, formado por dois instrumentistas que atuam na Orquestra atualmente, dois ex-integrantes, além de um membro da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB). O programa começa às 18h e pode ser acessado no canal da OSMJP, no YouTube.

“De grande virtuosismo e notável qualidade interpretativa, o conjunto nos brinda com um repertório de compositores brasileiros, com destaque para José Siqueira, nome de extrema importância na música brasileira de concerto”, destacou o maestro Samuel Espinoza, que coordena os ‘Recitais Digitais’.

Além de Siqueira, o maestro listou outros compositores consagrados como Lorenzo Fernandes, Liduíno Pitombeira e Marcos FM. “É um privilégio poder compartilhar o magnífico trabalho deste grupo com os seguidores do nosso programa de Recitais Digitais”, comentou.

Espinoza explicou que a origem do nome Parambuco vem do fato de reunir instrumentistas dos estados da Paraíba e de Pernambuco. Ele contou que o Quinteto foi criado em 2016 e, apesar do pouco tempo de carreira, foi um dos vencedores do Concurso BNDES na temporada 2017/2018, e premiado na série Jovens Talentos, do VII Festival Internacional de Música de Campina Grande.

A convidada especial Mirna Hipólito contou que, para o recital, foram selecionadas quatro músicas. A primeira é uma obra do compositor paraibano José Siqueira, a ‘Cantiga Sentimental’. A segunda é a ‘Suíte para quinteto de instrumentos de sopro’, do compositor Oscar Lorenzo Fernandez. Foi a primeira obra escrita pra quinteto de sopros no Brasil, composta em 1926.

A terceira música será a ‘Suíte Hermética’, do compositor Liduíno Pitombeira, que hoje é professor da UFRJ, mas foi professor da UFPB por muitos anos. Por último, do compositor pernambucano Marcos FM, será apresentada a obra ‘Arrecifes Armorialis’. Escrita originalmente para banda sinfônica, o próprio compositor fez uma versão para quinteto de sopros, e o Quinteto Parambuco estreou a obra em 2018, no Rio de Janeiro.

O trompista Robson Gomes afirmou que está contente com o convite. “Através do concerto digital, o público irá conhecer mais um pouco sobre nosso Quinteto de Sopro Parambuco. Essa série está sendo bastante importante. É uma forma de levar a música nas casas das pessoas nesse período que estamos vivendo. Mas, com certeza, nada substitui uma boa sala de concerto ao vivo e presencial”, comentou.

O Quinteto Parambuco tem o objetivo principal de divulgar a música de câmara brasileira erudita e popular, especialmente do Nordeste. O grupo já se apresentou em várias cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, Maceió e Recife. Seus integrantes são Mirna Hipólito, na flauta; Junielson Nascimento, no oboé; Eduardo Lima, no clarinete; Isaac Soares, no fagote, e Robson Gomes, na trompa.

Últimas