febre amarela

Cidades Porto Alegre confirma morte de bugio causada por febre amarela

Porto Alegre confirma morte de bugio causada por febre amarela

Exames da Fiocruz confirmaram que espécie de macaco morreu pela doença. Primatas servem de alerta para circulação do vírus

  • Cidades | Do R7

Macaco bugio morreu de febre amarela em Porto Alegre, segundo exames da Fiocruz

Macaco bugio morreu de febre amarela em Porto Alegre, segundo exames da Fiocruz

EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 12.04.2021

A prefeitura de Porto Alegre informou nesta segunda-feira (12) que exames feitos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmaram que morte de um bugio, uma espécie de macaco, na capital gaúcha foi por febre amarela.

O animal morreu em fevereiro. O bugio foi encontrado já sem vida em um terreno no bairro Lageado, no Extremo Sul da Capital. O primeiro exame para febre amarela, realizado em Porto Alegre, apresentou resultado negativo. Com a contraprova na Fundação Oswaldo Cruz, a doença foi confirmada no primata. 

A febre amarela é uma doença viral transmitida por mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes que habitam áreas silvestres. É uma doença com alta letalidade, prevenível através de vacina. O homem e os primatas não humanos, como os bugios, são afetados pela doença. Somente os mosquitos transmitem a febre amarela. Os primatas não transmitem o vírus para humanos.

Os bugios funcionam como “sentinelas”, alertando para a necessidade de verificação da situação vacinal da população local, pois há risco de transmissão caso o vetor (mosquito) esteja em circulação na região do óbito.

O Rio Grande do Sul não registrava a presença do vírus causador da febre amarela desde 2009.

Últimas