Cidades Pré-eclâmpsia e tromboembolismo pulmonar são as principais causas de mortalidade materna em João Pessoa

Pré-eclâmpsia e tromboembolismo pulmonar são as principais causas de mortalidade materna em João Pessoa

Levantamento realizado pelo Instituto Cândida Vargas, em João Pessoa, identificou que a pré-eclâmpsia grave e o tromboembolismo pulmonar são as principais causas de mortalidade materna. O relatório foi formulado com base nos dados registrados pela unidade de saúde nos últimos quatro anos. Segundo a médica obstetra, Maria Neirismar Morais, pacientes sem acompanhamento pré-natal ou com […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Imagem ilustrativa | Foto: Valdecir Galor/SMCS

Levantamento realizado pelo Instituto Cândida Vargas, em João Pessoa, identificou que a pré-eclâmpsia grave e o tromboembolismo pulmonar são as principais causas de mortalidade materna. O relatório foi formulado com base nos dados registrados pela unidade de saúde nos últimos quatro anos.

Segundo a médica obstetra, Maria Neirismar Morais, pacientes sem acompanhamento pré-natal ou com comorbidades têm mais chance de vivenciar uma gravidez de alto risco. O alerta faz parte das temáticas abordadas no No Dia de Luta pela Saúde da Mulher e no Dia Nacional de Redução de Mortalidade Materna, celebrados nesta sexta-feira (28).

De acordo com dados do Painel de Mortalidade Materna do Governo Federal, somente em 2020 a Paraíba registrou 55 óbitos maternos, o que corresponde a uma média de quatro mortes por mês.

Na Paraíba, o Instituto Cândida Vargas é a unidade de referência para acompanhamento dessas pacientes. O instituto possui ambulatório especial para pré-natal de alto risco, UTI Materna, neonatal, Canguru, alojamentos, serviço de imagem, laboratório, entre serviços.

“Ao chegar ao Instituto Cândida Vargas, a paciente passa pela consulta de enfermagem, onde é acolhida de forma adequada, orientada conforme o caso e classificada de acordo com a necessidade de priorização no atendimento médico”, explica a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente, Daisy Albuquerque.

As ações do Núcleo de Segurança do Paciente levam em consideração a lista de verificação de partos seguros, baseada nas recomendações da Organização Mundial de Saúde. “Estas práticas ajudam a evitar as principais causas de morte materna. Essa lista de verificação é realizada desde a admissão da mulher no ICV até após o parto. Então, toda a assistência prestada à mulher no Instituto é baseada nessas práticas”, completa Daisy.

Toda gestante deve iniciar o pré-natal na rede de Atenção Básica. O encaminhamento para o ICV ocorre quando a mulher apresenta alguma condição clínica que indique a necessidade de atendimento especializado.

Últimas