Coronavírus

Cidades Prefeito de Manaus diz não conhecer médicos que furaram fila 

Prefeito de Manaus diz não conhecer médicos que furaram fila 

MP-AM acusou 22 pessoas de esquema e pediu a prisão preventiva de David Almeida, que nega qualquer irregularidade

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV

Irmãs gêmeas Gabrielle e Isabelle Lins, recém-formadas em medicina e recém-contratadas para uma UBS, postam foto após serem imunizadas

Irmãs gêmeas Gabrielle e Isabelle Lins, recém-formadas em medicina e recém-contratadas para uma UBS, postam foto após serem imunizadas

Reprodução/Instagram

Depois que o MP-AM (Ministério Público do Amazonas) denunciou o prefeito de Manaus, a secretária de Saúde, médicos e servidores por um suposto esquema para furar a fila na imunização contra a covid-19, o prefeito da capital falou com o Jornal da Record.



Dez médicos citados pelo MP-AM trabalham em uma unidade básica de atendimento a pacientes com covid-19. Segundo o MP-AM, o grupo tem ligações políticas e econômicas com o prefeito. David Almeida nega qualquer irregularidade. "Eu não conheço nenhum dos médicos, conheci da forma que todo mundo conheceu, pela internet", afirma David. 

Ao todo, 22 pessoas são acusadas pelo MP-AM de participação no esquema, em que a prefeitura teria colocado, além dos médicos, gestores municipais à frente de quem é prioridade.
O TJ-AM (Tribunal de Justiça do Amazonas) informou que não pode julgar a ação, e encaminhou o processo para a Justiça Federal. O promotor do grupo de combate ao crime organizado promete recorrer.



Na véspera do início da campanha, a prefeitura contratou dez médicos em caráter de urgência. Todos estão entre os primeiros vacinados de Manaus e com um detalhe: foram contratados com um salário bem acima do que os médicos temporários recebem.

Entre eles estão as irmãs Isabelle e Gabrielle Lins, médicas recém-formadas, que não atuariam na linha de frente, e David Dallas, filho de um deputado estadual. Segundo o MP-AM, os dez jovens médicos, contratados e vacinados, são amigos.

Por ter assinado as contratações, David Almeida é acusado pelos crimes de falsidade ideológica e peculato. O MP-AM pede a prisão preventiva dele e da secretária de saúde Shadia Fraxe. A secretaria não respondeu ao contato da reportagem. As médicas Isabelle e Gabrielle Lins disseram que não foram notificadas.

Últimas