Cidades Prejuízos com chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bi em 6 anos

Prejuízos com chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bi em 6 anos

Dados da CNM são de 2017 a 2022. Os estados mais prejudicados com temporais neste início de ano são Bahia e Minas Gerais

  • Cidades | Do R7

Prejuízos com chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bilhões entre 2017 e 2022

Prejuízos com chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bilhões entre 2017 e 2022

Corpo de Bombeiros de Minas Gerais/Divulgação

As chuvas dos últimos meses geraram uma série de prejuízos aos municípios brasileiros. Este foi o segundo período chuvoso com maiores impactos desde 2017, de acordo com estudo realizado pela CNM (Confederação Nacional de Municípios). Entre 1º de outubro de 2017 e 17 de janeiro deste ano, o impacto econômico chega a R$ 55,5 bilhões.

De acordo com o Sinpdec (Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil), o período de temporais se inicia a partir de outubro e termina no fim de março. Dos R$ 55,5 bilhões, o maior prejuízo foi R$ 18,9 bilhões entre 2020 e 2021, seguido pelo deste verão, com mais de R$ 17,2 bilhões. Em terceiro fica o biênio 2018-2019, com R$ 8,2 bilhões.

O levantamento mostrou que, em seis anos, os desastres decorrentes do excesso de chuvas levaram os municípios a 5.622 decretos de situação de emergência em todo o país. Só agora, são 1.302 declarações, número que ultrapassa o recorde do período de 2017/2018, quando foram registradas 1.155 decretações.

Segundo o estudo da CNM, o período chuvoso de 2019/2020 foi o que mais apresentou casas danificadas ou destruídas, somando 143.602, sendo que os temporais dos últimos seis anos afetaram mais de 28,8 milhões de pessoas.

Entre 2017 e 2022, 637 pessoas perderam a vida em desastres provocados pelas chuvas. Apenas entre 2018 e 2019 foram 327 óbitos, também 171,7 mil pessoas ficaram desabrigadas e 819,8 mil, desalojadas. O período, o mais problemático da história, deixou mais de 14,8 milhões de pessoas afetadas. A CNM ressaltou que nessa época ocorreu o desastre com a barragem em Brumadinho (MG), que resultou em 264 mortos e seis desaparecidos.

As chuvas deste início de ano já contabilizam, de acordo com dados divulgados pelos estados, um prejuízo de R$ 10,3 bilhões a cidades de Minas e de R$ 2,1 bilhões a municípios da Bahia, que são os dois estados mais afetados até o momento.

“As prefeituras sentem mesmo os prejuízos após o período das chuvas, quando precisam reconstruir o que perderam. Esses danos não têm como ser mensurados. Há municípios que, passada uma década, ainda não conseguiram se reestruturar”, alerta o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Últimas