Caso Henry

Rio de Janeiro Caso Henry: ex que acusa Jairinho de agressão falta a depoimento

Caso Henry: ex que acusa Jairinho de agressão falta a depoimento

Agressão a antiga companheira e à filha dela, então com 4 anos, teria ocorrido há oito anos. A menina já prestou depoimento

  • Rio de Janeiro | Do R7, com informações da Record TV

Jairinho e Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry Borel

Jairinho e Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry Borel

Reprodução/ Record TV


Uma ex-namorada de Dr. Jairinho que acusa o vereador de agressão contra ela e a filha faltou ao depoimento previsto para a tarde desta sexta-feira (2) na Delegacia da Criança e do Adolescente do Rio de Janeiro. A agressão terria ocorrido há oito anos. A filha da ex-namorada, que agora tem 12 anos, já prestou depoimento. Os depoimentos podem ajudar a traçar o comportamento de Jairinho, investigado pela morte do enteado, o menino Henry Borel, de 4 anos.

O jornalismo da Record TV também teve acesso a outra uma ocorrência, feita em 2014 pela ex-mulher do político. Hoje, o caso está arquivado, mas na época ela informou na delegacia que foi agredida várias vezes pelo marido, que chegou a tentar enforcá-la, mas que nunca registrou tais agressões.

Vire a página

Também nesta sexta , o advogado de Leniel, Airton Barros, afirmou que pedirá que o pai de Henry, Leniel Borel, seja novamente ouvido pela polícia. Segundo Barros, Dr. Jairinho, teria dito ao pai do menino para ter outro filho. “‘Vire a página e faça outro filho’, foi o que ele colocou pro Leniel. O Leniel tonto naquele momento, sozinho, providenciando o enterro do filho ainda, não processou isso, mas depois, quando a  ficha caiu, foi motivo logicamente de grande revolta”, afirmou o advogado.

Testemunha

O advogado de defesa de Jairinho e Monique Medeiros, a mãe de Henry, disse que uma testemunha afirmou que o delegado responsável pela apuração da morte do menino age de forma tendenciosa

De acordo com André França Barreto, a testemunha afirmou que tentou, mas não conseguiu falar outros temas que não os determinados pelo delegado. Ele leu um texto em que a testemunha afirma: "Espantou-me quando o delegado, no momento em que referi que Jairinho nao ter ciumes da Monique, ter socado fortemente a mesa e dito: 'Esse cara é perfeito, estou com sede nele'”.

Por conta do comportamento, a testemunha pediu a Barreto que entre em contato com Ministério Público ou o juiz da causa para que possa conceder um novo depoimento, que seja gravado.

Morte

Henry morreu na madrugada do último dia 8, após ser encontrado desacordado no apartamento onde morava com a mãe, Monique Medeiros e o namorado dela, o vereador Dr. Jairinho. A mãe e o padastro o levaram para um hospital particular, mas a criança já chegou sem vida ao local, de acordo com as pediatras que atenderem o menino. O laudo do IML (Instituto Médico Legal) aponta como causa da morte múltiplas lesões ocasionadas por ação contundente.

Últimas