Cidades Setor de serviços na PB encerra ano com 9ª maior perda acumulada do país

Setor de serviços na PB encerra ano com 9ª maior perda acumulada do país

O volume de serviços na Paraíba apresentou o 9º maior recuo do país no acumulado de 12 meses (-10,9%), conforme a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo tendo registrado variações positivas de um mês para o outro desde maio, no período de 12 […]

Portal Correio
Serviços

Serviços

Portal Correio
Foto: Imagem ilustrativa/Arquivo/Jornal Correio

O volume de serviços na Paraíba apresentou o 9º maior recuo do país no acumulado de 12 meses (-10,9%), conforme a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mesmo tendo registrado variações positivas de um mês para o outro desde maio, no período de 12 meses o estado acumula uma perda maior que a constatada na média nacional (-7,8%). 

Os índices negativos mais intensos do país foram verificados no Nordeste, de modo que quase todos estados da região ocupam as primeiras posições no ranking nacional de maiores reduções.

Entre as unidades da federação nordestinas, o primeiro lugar é ocupado por Alagoas (-16,1%), seguido pelo Rio Grande do Norte (-15,7%); Sergipe (-15,1%); Bahia (-14,8%); Piauí (-14,5%); Ceará (-13,6%);e Pernambuco (-12,4%). Na região, os números observados na Paraíba (-10,9)foram melhores apenas que o do Maranhão (-4%).

Quanto à receita nominal, no acumulado de 12 meses, o setor paraibano(-10,6%) também teve uma retração maior que a média brasileira (-7,1%). A redução observada no estado foi ainda a 10ª maior do país.

Frente ao mês de novembro, a variação foi positiva (1%), tanto no volume de serviços, como na receita nominal do setor no estado. Esses indicadores ficaram acima dos resultados nacionais, de -0,2% e 0,7%, respectivamente.

Já em relação a dezembro de 2019, houve queda de 6,6% no volume e de 5,4% na receita, no estado, enquanto na média do país, esses índices foram um pouco melhores, embora ainda negativos, de -3,3% e -2,3%, respectivamente.

Últimas