Cidades Sistemas de minigeração de energia reduzem custos de empresas na Paraíba

Sistemas de minigeração de energia reduzem custos de empresas na Paraíba

Com atuação em diferentes cidades da Paraíba, uma faculdade, uma oficina mecânica e uma distribuidora de bebidas têm em comum a opção pela linha de financiamento FNE Sol, do Banco do Nordeste. A linha serve para a aquisição e instalação dos equipamentos de microgeração de energia. As empresas pagam o investimento em parcelas que não […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Unicir – Faculdade do Cariri (Foto: Divulgação)

Com atuação em diferentes cidades da Paraíba, uma faculdade, uma oficina mecânica e uma distribuidora de bebidas têm em comum a opção pela linha de financiamento FNE Sol, do Banco do Nordeste. A linha serve para a aquisição e instalação dos equipamentos de microgeração de energia. As empresas pagam o investimento em parcelas que não excedem antigas contas de energia. Empresários que implantaram sistemas de minigeração solar ressaltam a redução de custos em seus estabelecimentos.

Em Sumé, a Faculdade do Cariri (Facir) passou a realizar aulas remotas em virtude da pandemia de Covid-19. O consumo de energia com ar-condicionado nas instalações físicas foi transferido para as transmissões de aulas. Com 164 alunos matriculados nos cursos de Direito, Enfermagem e Educação Física, a Facir planeja abrir os cursos de Psicologia e Medicina Veterinária, este último com adoção de uma fazenda modelo e de um hospital veterinário.

O sistema de 80 placas solares atende a demandas de irrigação, iluminação e funcionamento de ordenhadeiras mecânicas. “Instalamos um sistema de grande porte para atender o nosso projeto de expansão e estamos satisfeitos com a redução de R$ 2,5 mil na conta de energia”, destaca o proprietário, Paulo Antônio Lucena.

Na cidade de Pombal, no Sertão, a JR Distribuidora produz gelo e polpa de frutas para atender a clientela das cidades de Coremas, Cajazeirinhas, Malta, Condado, Catolé do Rocha e Jericó. O cliente José Ricardo Nogueira de Holanda, que atua no mercado há 12 anos, financiou maquinário e veículo para transportar os produtos. Mas foi no ano passado que ele decidiu pela implantação de 50 placas fotovoltaicas para instalar um sistema de minigeração de energia. O resultado foi a redução de mais de 50% com custos de eletricidade.

“Foi um investimento que valeu a pena, pois a gente paga a taxa de energia e as prestações do financiamento, que são menores que a conta de eletricidade. Essa redução permitiu que a gente tivesse um preço mais competitivo nos nossos produtos”, explica José Ricardo.

Na capital João Pessoa, a oficina mecânica Queiroz Car atua com serviços automobilísticos e decidiu por investir na geração própria de energia. As 37 placas implantadas dão suporte aos atendimentos das demandas. “Na nossa oficina trabalhamos com equipamentos de compressão e máquinas de soldar e de lavar. Chegamos a uma redução de custo entre 50% a 70% com eletricidade”, explica o proprietário Queiroz, que aderiu ao financiamento há 5 anos.

FNE Sol

Voltada para energias renováveis, a linha de crédito FNE Sol do Banco do Nordeste serve para aquisição de equipamentos de minigeração de energia elétrica fotovoltaica, eólica, de biomassa ou pequenas centrais hidroelétricas (PCH). Podem acessar o financiamento: empresas, pessoas físicas e produtores rurais. Os projetos são até 100% financiáveis, com carência de 6 meses e prazos de pagamento de 8 a 12 anos.

O gerente de negócios da Paraíba, Idevânio Rodrigues, destaca a vida útil das placas de até 21 anos, além das vantagens do investimento. “O FNE Sol proporciona retorno socioambiental e financeiro. O sistema gera uma energia limpa e renovável, preservando o meio ambiente. E a empresa passa a ter um equipamento que, após quitado, ainda produzirá energia durante mais 10 ou 15 anos, pelo menos. Outra vantagem é que durante o período de carência, o valor que seria destinado ao custeio da energia passa a compor capital de giro para a empresa”, ressalta.

Últimas