Vídeo mostra avião que caiu em Goiás em voo rasante

Quatro pessoas morreram no acidente, sendo três da mesma família; queda foi em Catalão

O avião que caiu numa fazenda às margens da rodovia GO-139, em Corumbaíba, no sul de Goiás, na tarde de domingo (29), foi flagrado fazendo um voo rasante um dia antes do acidente. Quatro pessoas morreram, sendo três da mesma família. O vídeo foi gravado na cidade de Catalão, distante cerca de 84 km do local da queda.

Queda

O monomotor fazia um voo panorâmico sobre a cidade de Corumbaíba, quando caiu perto de uma pista de pouso da região. Segundo familiares das vítimas, o piloto não queria fazer o voo. Porém, por insistência dos passageiros, acabou cedendo e decolando mais uma vez.

Minutos antes, outro grupo da mesma família já tinha sobrevoado a cidade. A família toda estava em Corumbaíba por conta de um casamento. Dois grupos de parentes voaram no mesmo. Ninguém notou nada de estranho. Mas, pouco tempo depois que decolou com o terceiro grupo, o avião já não conseguiu fazer uma manobra e rapidamente caiu.

O piloto era Israel Gomes, de 23 anos. Ele pilotava profissionalmente havia mais de dois anos e era formado em ciências aeronáuticas. Nas redes sociais, Israel se mostrava feliz e sempre postava imagens dentro de aeronaves, em voos com amigos ou a trabalho.

O rapaz estava na cidade para realizar voos panorâmicos durante as comemorações do aniversário da cidade. Além de Israel, morreram os primos Júlia Maria Santos, de dez anos, Amanda Garcia, de 16, e Lourivan Júnior, também de 16.

Lourivan, de 16 anos, Israel, de 23, e Amanda, de 16, morreram no acidente; Júlia, a quarta vítima tinha dez anos
Lourivan, de 16 anos, Israel, de 23, e Amanda, de 16, morreram no acidente; Júlia, a quarta vítima tinha dez anos Montagem/ R7/ Reprodução/ Facebook

O corpo de Amanda e de Júlia foram velados em Goiânia. Amanda foi levada para São Luís de Montes Belos (GO) para ser sepultada. Os últimos corpos a serem identificados foram o de Lourivan e o do piloto.

Quem acompanhou o sobrevoo acredita em duas hipóteses para a queda do avião: uma mudança do tempo porque teria começado a ventar muito; ou a passageira que estava na frente, no lugar do copiloto, ter encostado em algum comando na hora das manobras.

A Polícia Civil vai se reunir com o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) e começará a ouvir as testemunhas do acidente.

Experimente: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play