Cidades Vídeo mostra xingamento de advogado durante fala de juíza

Vídeo mostra xingamento de advogado durante fala de juíza

Insulto aconteceu durante audiência virtual da 3ª Vara do Trabalho de Curitiba. Advogado diz que xingou 'a situação' e se desculpou

  • Cidades | Do R7

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um deslize que pode custar caro para um advogado que participou, no dia 22 de março, de uma audiência de instrução da 3ª Vara do Trabalho de Curitiba. Sem saber que estava compartilhando a tela com todos presentes na sessão, o advogado escreveu em uma conversa no WhatsApp "que filha da p..." enquanto a juíza Edineia Carla Poganski Broch se pronunciava contrária a um pedido dele.

O vídeo que viralizou começa com uma testemunha do processo explicando que uma foto publicada no Facebook, apresentada na audiência pelo advogado, se trata de uma reunião de trabalho. O advogado questiona a foto, diz que é uma festa e pede mais explicações. A juíza, então, intervém afirmando que a imagem já foi explicada e ordena a continuidade da sessão.

Logo após a juíza seguir a audiência, o advogado, que continuou com a tela compartilhada, abriu o aplicativo do WhatsApp e enviou o xingamento para um contato. Imediatamente, Broch pergunta quem ele chamou de "filha da p...". E o advogado responde: "Não estou falando de vossa excelência, estou falando da situação".

Momento quando advogado manda xingamento em WhatsApp

Momento quando advogado manda xingamento em WhatsApp

Reprodução

Depois de saber que o xingamento foi registrado, o advogado pediu desculpa para a juíza e às testemunhas. "Não foi minha intenção."

Após a repercussão do vídeo, o TRT-9 (Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região) enviou, na última quarta-feira (7), um ofício para o presidente da OAB-PR (Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná), Cássio Telles , pedindo possível punição ao advogado. "Solicitamos respeitosamente a Vossa Senhoria que tome as medidas que entender pertinentes, informando-nos as providências adotadas". 

De acordo com o ofício assinado pelos desembargadores Sérgio Murilo Rodrigues Lemos, presidente do TRT-9, e Nair Maria Lunardelli Ramos, corregedora do TRT-9, a fala do advogado demonstra "uma total falta de urbanidade não só para com a magistrada e demais pessoas que participavam da audiência, mas também com o Poder Judiciário como um todo".

Os desembargadores também pedem para que o ofício seja encaminhado para OAB-SP, onde o advogado está inscrito.

Últimas