Cidades Voluntárias da UFP ajudam mulheres vítimas de violência

Voluntárias da UFP ajudam mulheres vítimas de violência

Em 2020, foram apresentadas mais de 230 mil denúncias de violência doméstica em todos os estados

Projeto oferece amparo e orientação para vítimas de violência

Projeto oferece amparo e orientação para vítimas de violência

Pixabay

Nesta terça-feira (20), em Goiânia (GO), um grupo de 35 voluntárias do programa social UFP (Universal nas Forças Policiais) montou um ponto para atender mulheres vítimas de violência, em conjunto com policiais militares femininas. O objetivo da ação é orientar sobre a importância de denunciar as agressões.

Em 2020, foram apresentadas mais de 230 mil denúncias de violência doméstica em todos os estados. Isso significa que, em média, 630 mulheres procuraram uma autoridade policial diariamente para pedir ajuda.

Realizada em parceria com o 9º Batalhão da Polícia Militar de Goiânia, a ação da UFP pretende atender cerca de 200 mulheres, oferecendo amparo social e orientação sobre como proceder para dar fim à violência e proteger a vítima do agressor.

“A iniciativa surgiu ao ver tantas mulheres em situação de vulnerabilidade das mais diversas formas. Pensando nessas mulheres, reunimos conselheiras da UFP para prestar esse apoio agregado à Polícia Militar, para essa assistência de segurança”, explica Elton Mangueira, responsável pela UFP no estado de Goiás

O Tenente Coronel PM Geraldo Flávio Syrio Carneiro, respondendo pelo Comando do 9° Batalhão da Polícia Militar do Estado de Goiás, agradeceu à UFP pela parceria. “É fundamental a valorosa ação das voluntárias no atendimento a mulheres que passam por dificuldades financeiras, conjugais, emocionais e de várias naturezas. Em nome da Polícia Militar, gostaria de agradecer”, concluiu.

O “Cantinho do Desabafo” funciona na Base Móvel de Monitoramento do 9º Batalhão da Polícia Militar, na região norte de Goiânia.

Últimas