Click Gratis Entenda como funciona e quanto custa a Criopreservação

Entenda como funciona e quanto custa a Criopreservação

Existem diversos métodos que permitem com que as pessoas preservem o seu material genético que permite com que aconteça uma reprodução posterior. Uma das mais conhecidas do mundo é a chamada criopreservação, que permite o congelamento de óculos, tecido ovariano, espermatozoides e embriões para que possam ser utilizados futuramente. Mas a técnica acaba sendo utilizada, de uma forma mais frequente, para a preservação dos óvulos. 

Entenda como funciona e quanto custa a Criopreservação

Entenda como funciona e quanto custa a Criopreservação

Click Grátis - Notícias

Essa é uma técnica muito importante pois ela atua para evitar um problema natural muito conhecido e que pode atrapalhar as questões relacionadas a reprodução e que envolvem diretamente o relógio biológico feminino. Com o passar dos anos, a qualidade e também a quantidade dos óvulos femininos vão diminuindo consideravelmente. Após os 35 anos, essas características femininas acabam fazendo com que as mulheres tenham mais dificuldade para engravidar. 

Mas muitas pessoas que desejam utilizar a técnica acabam tendo alguma dificuldade em relação ao funcionamento do mesmo. Saiba mais sobre como funciona a criopreservação:

Como funciona a criopreservação?

Veja também:

7 Dicas para mulheres que desejam engravidar Fatos que você precisa saber a respeito do congelamento de óvulos Os mitos mais comuns sobre como engravidar

Antes de mais nada, é preciso fazer a coleta do material. No caso do material genético masculino, isso se dá basicamente através da masturbação. Em alguns casos, a coleta nos homens podem ser feitas através de uma punção testicular. Já no caso das mulheres, isso deve ser feito através do que é chamado de indução de ovulação, que é um procedimento cirúrgico simples que requer uma sedação e dura em média 20 minutos. 

Etapas do procedimento

Click Grátis - Notícias

Click Grátis - Notícias

Click Grátis - Notícias

O procedimento de criopreservação se dá basicamente em 3 etapas diferentes:

Parte 1 – Ao material genético são adicionadas substâncias crioprotetoras, para evitar a formação de cristais de gelo no interior dos espermatozoides, óvulos ou embriões, o que impediria que eles pudessem ser utilizados novamente. Elas são muito importantes também para preservar as estruturas internas dessas células. 

Parte 2 – São utilizadas técnicas de congelamento, que podem ser lentas ou ultrarrápidas, de acordo com o tipo de tecnologia utilizada pelo laboratório escolhido. Em qualquer um dos casos, o material precisa ser colocado em equipamentos que realizam o controle de temperaturas para que a criopreservação aconteça de forma segura. Esse processo envolve o aumento e a redução da temperatura. 

Parte 3 – Por último, depois que o material passa por todo o processo de congelamento, eles são levados em armazenamento em tanques de nitrogênio líquido. Neste local e nesta tecnologia, o material deve ficar basicamente sob a temperatura de 196º Celsius negativos. Eles são colocados em pequenas palhetas com sua devida identificação e podem ficar armazenados por tempo indeterminado. Existem embriões transferidos para úteros após ficarem 20 anos criopreservados, que resultaram em bebês completamente saudáveis.

Saiba quem são as pessoas que podem utilizar a criopreservação

Click Grátis - Notícias

Click Grátis - Notícias

Click Grátis - Notícias

Este é um método que é considerado bastante seguro e pode ser utilizado por qualquer pessoa que queira preservar seus tecidos tanto por questões reprodutivas, quanto por saúde ou até mesmo para projetos de doação. De acordo com os pesquisadores envolvidos nestes procedimentos, também não existe uma data que possa ser considerada como limite para que ela seja realizada. Mas existe uma recomendação, no caos das mulheres, para que elas armazenem seus óvulos antes dos 35 anos de idade, não por questões de saúde da pessoa mais sim do material em sí.

Existem riscos da criopreservação?

Para as pessoas, não existe risco nenhum. Para o material em sí, existem algumas perdas que podem acontecer no decorrer do processo, e geralmente as equipes estão preparadas para isso. Os espermatozoides, por exemplo, apesar de se conservaram, perdem cerca de 50% do seu poder de movimentação.

No caos dos óvulos, eles podem ter uma perda do chamado citoplasma, que é a camada gelatinosa interna da célula, lesado, e com isso perder a integridade da membrana plasmática. Eles também podem sofrer alterações chamada na zona pelúcida, que é a camada externa gelatinosa. De acordo com as pesquisas que são feitas sobre o assunto, as taxas de sobrevivência com o descongelamento são de 80 a 95%

Quanto custa o procedimento de criopreservação?

Este pode ser considerado como um procedimento caro. As pessoas que possuem interesse devem fazer parte dos centros de reprodução humana e hospitais que estão aptos a fazer este procedimento. Hoje em dia eles praticamente podem ser encontrados em todas as grandes cidades do Brasil. 

Em relação aos custos, eles podem variar variar entre R$ 15.000 e R$ 20.000, podendo haver também a cobrança de taxas de manutenção anuais.

Últimas