Distrito Federal Agnelo diz que Viplan tentou sabotar processo de licitação do novo transporte público do DF

Agnelo diz que Viplan tentou sabotar processo de licitação do novo transporte público do DF

Governo revogou permissões e assumiu a administração da empresa

As cinco garagens do grupo foram assumidas pela TCB, empresa do GDF

As cinco garagens do grupo foram assumidas pela TCB, empresa do GDF

Reprodução TV Record

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, disse na manhã desta segunda-feira (23) que a empresa de transporte coletivo Viplan (Viação Planalto) tentou sabotar o processo de licitação do novo transporte público do DF. Por determinação dele, além da Viplan, as empresas Condor Transportes Urbanos LTDA. e Lotaxi Transportes Urbanos LTDA sofreram intervenção do governo que assume o grupo pelos próximos 60 dias.  

De acordo com o governo, as empresas da família Canhedo não têm seguido as normas estabelecidas para o repasse das linhas para as empresas vencedoras da licitação que pretende renovar o transporte público do DF.     

A TCB (Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília LTDA) assumirá imediatamente os serviços prestados por essas empresas. As empresas de Canhedo exploram 214 linhas no DF com 744 veículos, o equivalente a quase um terço do mercado do DF.    

Leia mais notícias no R7 DF    

Segundo Agnelo, os trabalhadores da empresa Viplan sofriam terrorismo dentro das garagens e eram impedidos de ser contratados pelas novas empresas. Já que as demissões não aconteceram de forma legal.   

Agnelo garantiu que os trabalhadores do grupo Canhedo terão seus empregos garantidos. Pelo menos 12 mil rodoviários estavam ameaçados de ficarem desempregados.   S

egundo o governo, a intervenção assumirá o mesmo modelo adotado na intervenção das empresas do Grupo Amaral. O GDF pretende inicialmente garantir a demissão dos funcionários de formal legal e liberá-los para a recontratação nas novas empresas.  

Últimas