Distrito Federal Brasilienses criam site para publicar fotografias de carros abandonados

Brasilienses criam site para publicar fotografias de carros abandonados

Iniciativa de amigos, página Parados no Tempo já recebeu cerca de 20 mil visualizações

Uma câmera na mão e o desejo de lapidar a beleza saudosista dos carros abandonados. Foi o que moveu os designers Marcelo Jatobá e Tiago Araújo a criarem o site Parados no Tempo. O projeto é recente, começou em agosto de 2013, mas já agrupou cerca de 5 mil seguidores em redes sociais da internet. Agora, os jovens querem dar um passo à frente e lançar uma publicação impressa.

— Nós buscamos mostrar os efeitos que o tempo e a falta de movimento causam: ferrugem, sujeira, queimadura na tinta, teias de aranha — conta Tiago Araújo. 

Ele e Marcelo Jatobá, programador visual da Universidade de Brasília, publicam toda quarta-feira uma série de fotos, de um novo achado, na maioria das vezes automóveis ícones, que marcaram gerações.

— São os ensaios que mais agradam. O Ford Galaxie, por exemplo, recebeu mais de 20 mil visualizações — diz o servidor público.

Leia mais notícias no R7 DF

É cada relíquia! Veja as fotos dos carros abandonados flagrados pelos brasilienses

Também colabora com o projeto o engenheiro de telecomunicações Guilherme Rodrigues. 

A série é publicada na página da internet, que funciona como arquivo das fotografias dos idealizadores. A divulgação fica a cargo das redes sociais.

— No dia em que publicamos o ensaio, divulgamos uma fotografia no Facebook — explica Jatobá.

Os usuários da rede curtem e comentam, alguns chegam a publicar fotografias de suas descobertas.

— No início do mês, um fã postou algumas imagens que fez em Londrina.

No Instagram, a divulgação é mais frequente e não tem hora para acontecer. As fotografias costumam ser publicadas quase em tempo real. Os amigos divulgam as imagens e os internautas podem interagir divulgando o material por meio de ‘hashtags’.

— Nesse caso, os usuários acabam contribuindo muito mais, basta marcar o post com referência ao Parados no Tempo — diz Marcelo Jatobá.

Agora, nós queremos começar a construir um livro com o material que produzimos. Admiradores de carros não faltam.

Projeto

— A primeira ideia era criar um livro de fotografias, mas preferimos começar lançando um site, lincar para redes sociais e ver qual seria o retorno — conta o servidor da UnB.

Os amigos usaram das competências profissionais para concretizar o projeto. Juntos, elaboraram os textos da página. Tiago Araújo também aproveitou seus conhecimentos em programação para construir a página na internet. Depois, foi necessário juntar as imagens.

— A gente esperou juntar um catálogo de 30 ensaios para lançarmos o projeto — lembra Jatobá.

Já de início, o site foi um agregador de apaixonados por carros, principalmente fãs dos automóveis mais antigos.

— Eles são os que mais gostam, comentam e participam — destaca Araújo.

    Access log