Distrito Federal Deficientes sofrem com falta de acessibilidade nas ruas do Distrito Federal

Deficientes sofrem com falta de acessibilidade nas ruas do Distrito Federal

Administração de Ceilândia criou disque denúncia para tentar resolver o problema

Deficientes sofrem com falta de acessibilidade nas ruas do Distrito Federal

Poste no meio da calçada impede a passagem de cadeirantes. Para denunciar casos de falta de acessibilidade como este em Ceilândia, a população pode ligar para o número 3471 9850

Poste no meio da calçada impede a passagem de cadeirantes. Para denunciar casos de falta de acessibilidade como este em Ceilândia, a população pode ligar para o número 3471 9850

Reprodução / TV Record Brasília

Os deficientes sofrem com a falta de acessibilidade nas ruas do Distrito Federal. Há postes bloqueando o caminho, faltam faixas de pedestres, calçadas rebaixadas, buracos e rampas mal feitas. Em Ceilândia, região administrativa do DF, o problema é ainda maior, de acordo com os cadeirantes.  

Marçones Feitosa é deficiente e usa cadeira de rodas há 11 anos. Ele diz que depois de se adaptar à nova vida, a maior dificuldade é se locomover pela cidade. Ele diz que são muitas coisas que atrapalham.  

— Lixo, entulho, carros estacionados em frente às rampas e várias outras dificuldades como as grades que tomam o espaço do cadeirante.  

Leia mais notícias no R7 DF

Confira os pontos mais críticos das calçadas de Brasília

Para tentar resolver o problema, a Administração de Ceilândia criou um canal exclusivo voltado para os problemas dos deficientes físicos:  o Disque Acessibilidade.Para denunciar, é só ligar para o número 3471 9850 e dizer onde o acesso é complicado.  

O administrador Ari de Almeida diz que o atendente vai até a casa da pessoa que reclamou.  

A promessa do governo é resolver os problemas de acessibilidade o mais rápido possível. A área externa do Hospital de Ceilândia vai ser a primeira a passar por reformas, já que até hoje ela não tem acessibilidade. A previsão é de que em pelo menos 15 dias as obras comecem.  

Longe do ideal, as calçadas de Brasília tiveram nota 5,98 em um levantamento do portal Mobilize Brasil. A avenida W3 Norte/Sul tem a situação mais crítica (nota 4,88). Para serem consideradas adequadas para os pedestres, as calçadas da capital federal precisariam de, no mínimo, a nota 8. 

No ranking da qualidade de calçadas, Brasília está na posição de número sete entre as 12 capitais avaliadas durante três meses. 

O levantamento avaliou passeios públicos em alguns dos principais pontos da cidade como a Esplanada dos Ministérios, os setores Hoteleiro e Comercial, a W3 Norte/Sul e a Rodoviária do Plano Piloto. De todos esses locais, apenas o Setor Hoteleiro ofereceu acessibilidade plena para deficientes físicos e idosos.

Veja o vídeo: