Distrito Federal Ex-secretária da Igualdade Racial do DF acusa 5 militares de racismo

Ex-secretária da Igualdade Racial do DF acusa 5 militares de racismo

Ela foi abordada de forma violenta próximo no Museu da República

Ex-secretária da Igualdade Racial do DF acusa 5 militares de racismo

A ex-secretaria Josefina Serra registrou a ocorrência na 1ª DP, na Asa Sul

A ex-secretaria Josefina Serra registrou a ocorrência na 1ª DP, na Asa Sul

Reprodução/OAB-DF

A ex-secretária da Igualdade Racial do DF, Josefina Serra, 53 anos, registrou na última segunda-feira (13) uma denúncia de racismo na 1ª DP (Delegacia de Polícia), da Asa Sul, contra cinco policiais militares. Josefina, que atualmente trabalha como advogada, disse que ia para uma reunião, às 18h30 do dia 7 de outubro, quando viu, próximo a Bibliotera Nacional, em Brasília, um grupo de policiais revistando três adolescentes, duas garotas brancas e um negro. As duas foram dispensadas e o garoto ficou.

Intrigada com a situação, Josefina foi conversar com o garoto e pedir que ele fosse para casa, já que o local estava perigoso e sua mãe devia estar preocupada. Quando terminou a conversa, a advogada decidiu ir embora, mas foi abordada por policiais.

— Quando fui embora, ouvi ‘minha senhora, pare’. Achei que não era comido e continuei, ai a pessoa ameaçou atirar e começou a me puxar.

Leia mais notícias no R7 DF

Josefina disse ainda que foi revistada de fora violenta e que os policiais, além de intimidá-la, a agrediram com palavras. Quando mostrou sua carteira da OAB e disse que, por ser advogada, queria saber o que estava acontecendo, os policiais responderam que ‘pessoas como ela’ eram revistadas, que tratava-se de um procedimento normal.

— Perguntei: negros igual a mim? E eles [os policiais] começaram a rir e disseram ‘entenda como quiser’. Então, é por causa da minha cor. Disseram ‘essas neguinhas quando aprendem alguma coisa se acham’. Me viraram para o Museu Nacional e revistaram [de tal modo] que mostraram até o meu seio.

A ex-secretária afirmou que os policiais chegaram a dizer que não adiantava ela fazer uma denúncia porque, mesmo sendo advogada, nada aconteceria com eles.

— Falaram que era mais fácil acontecer comigo. Você não diz quase nada em uma hora dessas porque você está em desespero, você só quer se proteger.

A ex-secretaria promete procurar ainda a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e a Comissão de Direitos Humanos para cuidar do caso.

O secretário-geral da PM, coronel Marcos Araújo, afirmou que no Museu da República, local onde a abordagem aconteceu, existem câmeras de segurança que serão usadas para investigar o caso. Marcos Araújo também é negro e garantiu que a Polícia Militar repudia atos de racismo e agressões como as que foram denunciadas pela ex-secretaria.

Josefina

Josefina foi a primeira secretária de Promoção da Igualdade Racial do DF. O órgão foi criado em agosto de 2011 e ela ficou no cargo até 2013. Jô, como gosta de ser chamada, também é ex-empregada doméstica. Atualmente, ela atua como advogada.

    Access log