James Franco é acusado por ex-alunas de exploração sexual

Segundo o New York Times, Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal são ex-alunas da escola de Franco e entraram com uma ação coletiva, nesta quinta-feira (3) alegando terem sido pressionadas a realizar atividades desconfortáveis

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Jornal de Brasília

Da Redação
redacao@grupojbr.com

O ator norte-americano James Franco está sendo processado por duas mulheres, que alegam exploração sexual por parte dele e seus sócios em uma escola de atuação.

Segundo o New York Times, Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal são ex-alunas da escola de Franco e entraram com uma ação coletiva, nesta quinta-feira (3) alegando terem sido pressionadas a realizar atividades desconfortáveis.

Na ação, que corre no Tribunal Superior do Condado de Los Angeles, James e os sócios teriam submetiam os estudantes a audições e cenas de sexo em troca de oportunidades de atuação que nunca aconteceram.

Segundo as ex-alunas, eles “se envolveram em um comportamento inapropriado e sexualmente difundido em relação a estudantes, sexualizando seu poder como professor e empregador, alterando a oportunidade de papéis em seus projetos.” 

Além das acusações, as ex-alunas afirmaram que foram obrigadas a assinar um contrato que abria mão dos direitos de imagens das filmagens polêmicas.

A escola Franco Studio 4 foi inaugurada em 2014, e tem filiais em Nova York e Los Angeles.

Essa não é a primeira vez que Franco se envolve em polêmicas envolvendo ex-alunas de seu instituto. Em janeiro do ano passado, James foi acusado de assédio sexual por cinco mulheres, a maioria ex-alunas.