Distrito Federal Mãe e filha que morreram em acidente no Canadá voltariam para Brasília no próximo mês

Mãe e filha que morreram em acidente no Canadá voltariam para Brasília no próximo mês

A jovem chegou a postar no Facebook que pretendia voltar ao País

Mãe e filha que morreram em acidente no Canadá voltariam para Brasília no próximo mês

Rafaela chegou a postar no Facebook que voltaria em breve para o Brasil

Rafaela chegou a postar no Facebook que voltaria em breve para o Brasil

Reprodução / Facebook

A família de brasilienses que foi vítima de um acidente de carro no Canadá estava de mudança para o Brasil. Os planos do casal era voltar a Brasília em duas semanas.  

No último sábado (24), Rafaela Andrade Ramos, de 26 anos, e a filha dela, Clara Ramos, de dois anos, morreram após o carro em que elas estavam ser atingido por outro veículo em um cruzamento na cidade Saskatoon, capital da Província de Saskatchewan. O carro era dirigido pelo marido de Rafaela e pai de Clara, Arthur Ramos, de 26 anos.   

De acordo com o pai de Rafaela, Henrique Andrade, de 54 anos, o casal retornaria ao País no próximo dia 12 de setembro. Eles já até tinham comprado um apartamento na capital federal. O casal estava no Canadá há dois anos fazendo mestrado, que já havia sido concluído.  

Leia notícias mais no R7 DF     

Veja as fotos da família brasiliense que sofreu acidente no Canadá

Em sua página no Facebook, Rafaela chegou a postar que em breve voltaria ao País: “De volta ao meu Brasil, soon....”  

No acidente, Rafaela morreu na hora e a criança chegou a ser levada para o Hospital Universitário Real, onde foi diagnosticada com morte cerebral. A família viajava para acampar nas margens de um lago da região.

O outro veículo envolvido no acidente transportava cinco pessoas, das quais três também foram levadas para o hospital com ferimentos leves.

Ao saber da morte da filha e da mulher, Arthur ficou em estado de choque. Henrique Andrade está no Canadá para tratar dos trâmites para que os corpos sejam transportados para o Brasil.  

Em entrevista por telefone ao R7 DF, ele disse que um receptor para os rins de sua neta já foi localizado no Canadá.