Operação Snake: amigo de jovem picado por naja é preso no DF

Ele é suspeito de ocultar serpentes que pertenceriam a Pedro Krambeck, que é investigado por suposto tráfico internacional de animais

Jovem picado por cobra no DF estaria criando naja de forma ilegal

Jovem picado por cobra no DF estaria criando naja de forma ilegal

Ivan Mattos/Divulgação/Zoológico de Brasília

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nesta quarta-feira (22) um estudante de medicina veterinária que é amigo do jovem picado por uma cobra naja no início do mês e teria ajudado o estudante a esconder serpentes.

O novo investigado é suspeito de integrar esquema criminoso voltado à prática de crimes ambientais, segundo a polícia, que batizou a operação desta quarta de "Snake", que significa cobra, em inglês.

O mandado de prisão foi expedido após representação da autoridade policial, tendo em vista a existência de indícios de que o alvo dessa fase da operação estaria tentando, desde o início da investigação, obstruir as diligências realizadas pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Investigação

O Ibama (Instituto Nacional do Meio Ambiente) informou que multaria em R$ 61 mil o estudante de veterinária Pedro Henrique Krambeck, de 22 anos, picado pela cobra naja que criava ilegalmente no Distrito Federal. O motivo da autuação seria a prática de maus-tratos e a manutenção de serpentes nativas em cativeiro sem autorização.

Padrasto de estudante picado por naja é suspeito de atrapalhar polícia

A polícia suspeita que Pedro faça parte de uma rede de tráfico internacional de animais. O caso começou a ser investigado após o acidente. Pedro recebeu alta seis dias após ser picado e ficar eme stado grave.