Distrito Federal Pai que perdeu filha e neta em acidente no Canadá faz campanha de doação de sangue no DF

Pai que perdeu filha e neta em acidente no Canadá faz campanha de doação de sangue no DF

Rafela Andrade e a filha de dois anos, Clara, morreram em acidente de trânsito no Canadá

Pai que perdeu filha e neta em acidente no Canadá faz campanha de doação de sangue no DF

A campanha "Doando vida em nome de um eterno" também tem o objetivo de arrecadar donativos para o centro social que levará o nome da pequena Clara

A campanha "Doando vida em nome de um eterno" também tem o objetivo de arrecadar donativos para o centro social que levará o nome da pequena Clara

Divulgação/ Henrique Andrade

A família de duas brasilienses que morreram em um acidente de trânsito no Canadá em 2013 promovem um ato de doação de sangue, no Hemocentro de Brasília, no dia 22 de agosto, a partir de 8h. Henrique Andrade, pai da jovem e avô da menina, diz que, além de captar doadores, a campanha Doando vida em nome de um eterno também tem o objetivo de arrecadar donativos para o centro social que levará o nome da pequena Clara, de 2 anos, vítima da batida de carro.

Rafaela Andrade Ramos, de 26 anos, e a filha, Clara Ramos, de dois anos, morreram depois que o carro em que estavam foi atingido por outro veículo em um cruzamento na cidade de Saskatoon, capital da Província de Saskatchewan, no Candá, no dia 24 de agosto de 2013. 

Rafaela e o marido passaram quase dois anos no país para estudar e estavam perto do retorno ao Brasil. O acidente ocorreu na noite em que a família se dirigia para um acampamento. Rafaela morreu na hora do acidente e a pequena Clara teve morte cerebral constatada ao chegar ao hospital. 

Leia mais notícias no R7 DF

Experimente grátis: todos os programas da Record na íntegra no R7 Play

Brasiliense e filha de dois anos morrem em acidente de carro no Canadá

Em memória das duas, além de realizar a campanha pelo segundo ano consecutivo, a família vai arrecadar brinquedos, roupas e livros infantis para dar início ao Centro Social Santa Clara, que vai atender crianças de baixa renda da Chácara Santa Luzia, na Estrutural. O pai de Rafaela e avô de Clara, Henrique Andrade, explica que o prédio onde a instituição vai funcionar está em fase de construção.

— Nós fizemos terraplenagem e fundação, estamos na fase de construção no terreno onde o centro vai funcionar, agora começamos a arrecadar donativos e depois vamos passar para a fase de arrecadação de recursos para terminar a construção do centro, afirma.

A instituição vai abrigar 120 crianças por dia em um prédio de 470m² em uma das áreas mais pobres do Distrito Federal.