Pelo sétimo mês neste ano, comércio do DF registra queda nas vendas

Em doze meses saldo negativo do setor é de 18,15%

Comércio do Distrito Federal registrou queda de 0,23% nas vendas no mês de outubro na comparação com setembro
Comércio do Distrito Federal registrou queda de 0,23% nas vendas no mês de outubro na comparação com setembro Agência Brasil

O comércio do Distrito Federal registrou queda de 0,23% nas vendas no mês de outubro na comparação com setembro. Já o setor de serviços apresentou queda de 0,11%. Apesar de pequeno, o declínio representa a sétima queda consecutiva para o comércio neste ano. Os números são da Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio com apoio do Sebrae.

No acumulado dos últimos 12 meses, comércio e serviços apresentam, juntos, um saldo negativo de 18,15%, este índice acumulado apresenta piora nos três últimos meses. 

De acordo com o presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, a redução de salário e endividamento das famílias, a dificuldade de recolocação no mercado, ou mesmo a deterioração da confiança do consumidor no cenário socioeconômico tem impactado diretamente o setor terciário, gerando retração nas vendas.

— Com esse quadro, infelizmente não se observa mudança de tendência para o fechamento do ano. 

Leia mais notícias no R7 DF

Os segmentos que apresentaram queda foram: livraria e papelaria (-6,05%); farmácia e perfumaria (-3,57%); bares, restaurantes e lanchonetes (-2,59%); óticas (-1,86%); calçados (-1,83%) e material de construção (-1,86%).

Em outubro, os segmentos do comércio que registraram crescimento nas vendas foram: tecidos (13,49%); floricultura (8,86%); autopeças e acessórios (7,01%); lojas de utilidades domésticas (6,23%); vestuário (3,39%%); móveis e decoração (2,67%); mercado e mercearia (0,64%); informática (0,11%).

No setor de serviços, houve crescimento nas vendas, em outubro, nos segmentos de casa de eventos (12,29%); aluguel de artigos para festas (9,41%); academia (3,83%); pet shop (2,76%) e clínica de estética (1,85%); salão de beleza (0,92%).