Distrito Federal Perito da Polícia Civil morre após arma disparar contra o próprio peito

Perito da Polícia Civil morre após arma disparar contra o próprio peito

Ele estaria testando equipamento dentro do Instituto de Criminalística do DF

Perito da Polícia Civil morre após arma disparar contra o próprio peito

Instituto de Criminalística fica dentro do Departamento de Polícia Especializada

Instituto de Criminalística fica dentro do Departamento de Polícia Especializada

Reprodução/TV Record

Um perito da Polícia Civil do Distrito Federal morreu na tarde desta quinta-feira (23), por volta das 15h, após a arma que ele periciava disparar contra o seu próprio peito. Paulo Pereira de Carvalho, conhecido como Paulinho da Balística, de 53 anos, fazia perícia no equipamento dentro do Instituto de Criminalística no DPE (Departamento de Polícia Especializada).

Segundo a Divicom (Divisão de Comunicação da Polícia Civil), Paulinho trabalhava na instituição há 28 anos. A 1º DP, da Asa Sul, instaurou inquérito para investigar as circunstâncias do disparo acidental. 

Procurada pela reportagem, a Associação Brasiliense dos Peritos em Criminalística da Polícia Civil do DF preferiu não comentar o assunto ainda, mas informou que acompanha a investigação.

Leia mais notícias no R7 DF

Pistolas

Em setembro de 2013, o R7 DF mostrou um vídeo feito durante um treinamento de agentes da Rotam do DF que mostrava armas com defeitos. 

Pistolas semiautomáticas, que deveriam dar apenas um disparo por vez,  dispararam vários tiros em sequência. O problema foi verificado durante um curso de tiros.    

Na época, o chefe de manutenção da Polícia Militar do DF, o tenente-coronel Renato Costa, afirmou que o problema era grave e representa riscos tanto para o policial quanto para a população.  

    Access log