Distrito Federal Por causa de dívida de R$ 26 milhões, UPAs e hospitais públicos do DF estão sem refeições

Por causa de dívida de R$ 26 milhões, UPAs e hospitais públicos do DF estão sem refeições

Uma fatura do mês de janeiro está entre os débitos da Secretaria de Saúde

Secretaria passou a dar intervalo maior para que funcionários façam refeições fora das unidades de saúde

Secretaria passou a dar intervalo maior para que funcionários façam refeições fora das unidades de saúde

Vanessa Miyasaka/R7

As refeições servidas a funcionários de hospitais públicos e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) estão suspensas. Segundo a Sanoli Indústria e Comércio de Alimentação, empresa que fornece a comida às unidades de saúde a entrega está suspensa devido à falta de pagamento por parte da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. O valor seria de R$ 26 milhões.

De acordo com a empresa responsável pelo fornecimento, há uma fatura de agosto e um valor que deveria ter sido recebido em janeiro atrasados. Além disso, ainda há o pagamento referente ao mês de setembro para ser pago pela Secretaria de Saúde.

A empresa informou por meio de nota que, devido à dívida, está “com dificuldades de manter a reposição dos estoques de gêneros alimentícios e de honrar o pagamento da folha de seus mais de 1.700 funcionários diretamente envolvidos com a secretaria”.

A Secretaria de Saúde do DF informa que o fornecimento de alimentação para os pacientes dos hospitais da rede pública não foi prejudicado por esta paralisação momentânea da empresa Sanoli, responsável pela prestação desse serviço. 

Leia mais notícias no R7 DF

Segundo a secretaria, o contrato com a empresa prevê que os serviços devem ser executados por um período de 90 dias, independente do repasse financeiro. Esse prazo, portanto, foi descumprido pela empresa e a Saúde já entrou com uma medida cautelar junto ao Tribunal de Justiça para garantir a manutenção dos serviços. 

Os servidores que trabalham em regime de plantão e recebem a alimentação fornecida pela empresa, está autorizado, a partir desta terça-feira (7), o intervalo de duas horas para que sejam feitas refeições fora das unidades de saúde. 

Últimas