Renda dos moradores do Paranoá cresce e chega a média de R$ 2,6 mil

Apesar do aumento, região é uma das mais pobres do DF, segundo pesquisa

O aumento real da renda é de 19,34%, segundo a pesquisa

O aumento real da renda é de 19,34%, segundo a pesquisa

Mary Leal/GDF

A PDAD (Pesquisa Domiciliar por Amostra de Domicílios) referente a 2013 para a região administrativa do Paranoá, divulgada nesta quinta-feira (8), pela Codeplan apontou aumento na renda real da população, além de autossuficiência em relação aos serviços prestados na região.  

A renda domiciliar média da população do Paranoá é de R$ 2.633,67 com aumento real de 19,34% em relação a 2011 e a renda per capita, de R$ 737,50, com aumento real de 34,20% em relação a 2011.  

Apesar da elevação, a região permanece sendo classificada de baixa renda, sendo a população do Paranoá a de quarta menor renda entre as 11 regiões que já tiveram seus resultados divulgados pela Codeplan em 2013.   Segundo a pesquisa, o comércio consegue atender às necessidades de compra da maioria da população, no quesito compras de alimentos, por exemplo, 90,71% se abastecem na própria região.

Leia mais notícias no R7 DF   

Número de famílias brasilienses endividadas cai mais 1,8% em julho  

A região possui um hospital que é utilizado por 96% dos moradores que necessitam do serviço público de saúde, percentual também verificado para os postos de saúde.   As escolas locais atendem 77,46% dos estudantes do Paranoá, seguidas das instituições de ensino do Plano Piloto, com 18,31%.  

Além disso, o Paranoá está com quase a totalidade dos domicílios urbanos cobertos pela rede de abastecimento de água e de fornecimento de energia elétrica.