Tia pode ter a aguarda provisória de bebê abandonado em caixa de papelão, no Lago Norte

O advogado de defesa da mãe diz que a mulher quer a criança de volta

A pequena Aurora está internada no HRAN e aguarda decisão da justiça sobre guarda

A pequena Aurora está internada no HRAN e aguarda decisão da justiça sobre guarda

CBMDF/Divulgação

A tia da pequena Aurora, abandonada pela mãe em uma caixa de papelão, na última quinta-feira (7), logo depois do parto, em uma rua do Lago Norte, região nobre do Distrito Federal, pode ter a guarda provisória do bebê, caso a justiça entenda que a mãe não tem condições de oferecer cuidados à criança.   

O advogado de defesa de Josivânia Moraes, que escondeu a gravidez por nove meses usando roupas largas, enfatizou que a prioridade é lutar para que a mãe fique com a menina.  

— A tia se ofereceu para ficar com a criança em um primeiro momento, provisoriamente, se a justiça entender que a mãe não tem condições psicológicas, mas ela quer a criança de volta e está arrependida do que fez, afirmou o advogado Christian Barreto.  

A guarda da criança será definida depois que o Conselho Tutelar do Distrito Federal enviar um relatório à justiça sobre o caso da criança. A defesa espera que a decisão judicial seja tomada até quarta-feira (13). 

Leia mais notícias no R7 DF

Polícia prende mãe de bebê abandonada em caixa de papelão no Lago Norte

Mãe que abandonou bebê no DF usou roupas largas por nove meses para esconder gravidez

Recém-nascido, ainda com cordão umbilical, é encontrado dentro de caixa de papelão no DF

Polícia divulga vídeo de mulher suspeita de abandonar bebê em caixa de papelão no Lago Norte

A empregada doméstica, de 23 anos, contou que escondeu a gravidez por medo de perder o emprego. Ela se entregou à polícia na sexta-feira (8), depois que imagens do circuito de segurança de uma casa flagraram a mulher passando no momento em que a criança havia sido abandonada.   

A mulher ficou detida na 9ª DP do Lago Norte até a noite de sábado (9), quando foi liberada pela justiça. Ela está na casa da irmã, no Paranoá, e vai aguardar julgamento em liberdade. Josivânia vai responder pelo crime de abandono de incapaz, com pena que varia de 6 meses a 3 anos de prisão.   

Ela passou por exames no IML (Instituto Médico Legal) e no HRAN (HospitalRegional da Asa Norte), na sexta-feira (8), onde foi prescrito apenas um antibiótico. Segundo Barreto, Josivânia não precisou passar por procedimentos pós-parto.   

Entenda o caso

A criança foi encontrada dentro de uma caixa de papelão e ainda com o cordão umbilical, na manhã de quinta-feira (7), por um morador do Lago Norte, que passava pela rua. O bebê foi encaminhado à delegacia, onde recebeu os primeiros atendimentos do Corpo de Bombeiros. A menina de 3kg e 47 cm foi encaminhada ao HRAN, onde permanece internada, e foi batizada pela equipe médica como Aurora.   

Segundo o advogado de defesa da mãe da criança, a mulher fez o parto sozinha, às 5h de quinta-feira (7), no banheiro da casa onde trabalha, no Lago Norte. Pela manhã, colocou a menina em uma caixa de papelão e a deixou perto de uma lixeira.