Economia 29,4 milhões de domicílios receberam auxílio emergencial em junho, diz IBGE

29,4 milhões de domicílios receberam auxílio emergencial em junho, diz IBGE

Cerca de 29,4 milhões de domicílios receberam algum auxílio emergencial relacionado à pandemia no mês de junho, o equivalente a 43% do total de domicílios do País. Em maio, foram 26,3 milhões de domicílios contemplados, cerca de 38,7% do total. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid19) mensal, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O valor médio do benefício - como o Auxílio Emergencial e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda - recebido foi de R$ 881 por domicílio em junho. Na região Norte, 60% dos domicílios receberam o auxílio, e no Nordeste, 58,9%.

Cerca de 104,5 milhões de pessoas viviam em domicílios onde pelo menos um morador recebia auxílio emergencial, o equivalente a 49,5% da população brasileira.

Entre os 10% mais pobres, com renda domiciliar per capita de até R$ 50,34 mensais, 83,5% das pessoas viviam em domicílios que receberam o benefício. Em maio, essa fatia de beneficiados era de 76%.

No segundo décimo mais pobre, que recebiam até R$ 242,15 por pessoa mensalmente, o total de contemplados chegou a 86,1% em junho, ante uma fatia de 81,1% em maio.

O auxílio emergencial atingiu ainda cerca de 75% das pessoas em domicílios do terceiro décimo de renda per capita, de até R$ 354,18 mensais.

Segundo o IBGE, 74,2% dos domicílios que receberam o auxílio do governo tinham renda domiciliar per capita de até R$ 665,11 mensais.

Últimas