Economia Ações judiciais envolvendo aluguel recuam 25% em São Paulo

Ações judiciais envolvendo aluguel recuam 25% em São Paulo

Em janeiro, foram protocolados 753 processos relacionados ao mercado de locação, a maioria por falta de pagamento do aluguel

  • Economia | Do R7

Janeiro teve 632 ações pela falta de pagamento de aluguel

Janeiro teve 632 ações pela falta de pagamento de aluguel

Arquivo/Agência Brasil - 12.1.2004

As 753 ações judiciais relacionadas ao mercado de locação protocoladas na cidade de São Paulo (SP) em janeiro representa uma diminuição de 25,4% em comparação com o mês anterior, quando foram contabilizados 1.010 processos. Em relação às 1.058 ações ajuizadas em janeiro de 2020, a queda foi de 28,8%.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Secovi-SP com base em informações do TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo). 

Do total registrado em janeiro, 83,9% (632 processos) foram motivados pela falta de pagamento de aluguel. As ações de despejo apareceram na segunda posição, com 60 ações e participação de 8%. As renovatórias e as consignatórias participaram, respectivamente, com 55 (7,3%) e 6 (0,8%) processos.

Também houve queda no acumulado dos últimos 12 meses. Os 12.884 processos contabilizados de fevereiro de 2020 a janeiro de 2021 representaram recuo de 18,5% frente ao acumulado no período anterior (fevereiro de 2019 a janeiro de 2020), quando foram registradas 15.806 ações.

O advogado Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP, atribui essa diminuição aos acordos amigáveis entre locadores e inquilinos, que cresceram durante pandemia. “A pandemia trouxe grandes deságios e o tema das locações tem sido enfrentado de maneira inteligente, com conversas e acordos”, afirma Bushatsky.

Últimas