Adidos agrícolas se reúnem com chineses para saber detalhes sobre contaminação

O Ministério da Agricultura confirmou, em documento enviado ao Broadcast Agro (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), que adidos agrícolas em Pequim reuniram-se na terça-feira, 25, na cidade de Shenzhen, província chinesa de Guangdong, com autoridades sanitárias e de comércio locais para obter detalhes sobre a suposta detecção do vírus da covid-19 em carne de frango brasileiro.

Segundo o ministério, a China informou que três amostras coletadas em dois lotes de produtos do estabelecimento com SIF 601 (Aurora Alimentos), que exporta carne de frango para a China, testaram positivo para o novo coronavírus.

Uma amostra foi coletada em asas de frango e duas amostras em embalagem do produto. "No entanto, as autoridades sanitárias de Shenzhen não souberam informar se os achados se referiam apenas à detecção do material genético do vírus ou ao vírus ativo, nem foram capazes de dar maiores informações sobre o suposto achado", informou a pasta.

O Ministério da Agricultura informa, ainda, que os adidos agrícolas solicitaram às autoridades sanitárias de Shenzhen cópia do laudo laboratorial das três amostras que apresentaram resultado positivo.

"O lado chinês disse que esse laudo está sob responsabilidade das autoridades sanitárias da província de Guangdong, as quais não participaram da reunião", disse a pasta no comunicado, acrescentando que as gestões por parte do Ministério da Agricultura continuarão para elucidar o caso.