Agenersa aprova quedas do preço do gás no Estado do Rio de Janeiro

A queda do petróleo ajudou a jogar para baixo o preço do gás natural comercializado no Rio de Janeiro. Na segunda-feira, 13, a Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa) aprovou os novos preços do insumo a partir de 1º de maio, com queda média de 5,3% a 7% para o gás industrial e de 7,7% para GNV consumidos na capital.

Já o segmento residencial terá queda média de 2,5% e o comercial, de 3,2%. A redução de preço foi possível após negociação entre a Petrobras, monopolista do setor, com as distribuidoras do insumo.

No interior do Estado, os percentuais médios de redução serão de 3,6% para o segmento residencial; 5,4% para o comercial; 6,5% a 8,5% para o industrial; e 8,8% para GNV.

"Esse é mais um fator que contribuirá para atravessarmos esse período de dificuldades. A medida beneficia todos os segmentos de consumo, do residencial ao industrial", disse em nota o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Lucas Tristão, sobre a expectativa de melhorar a arrecadação com a manutenção de empregos e atividades que utilizem o insumo em tempos de quarentena.