Economia Agropecuária foi responsável por crescimento da economia em 2017

Agropecuária foi responsável por crescimento da economia em 2017

Com safra recorde no campo, setor registrou melhor resultado desde 1996, quando IBGE começou a série histórica

Agropecuária foi responsável por crescimento da economia em 2017

Previsão de safra para 2018 também é ótimista

Previsão de safra para 2018 também é ótimista

Pedro Revillion/Palácio Piratini

A agropecuária cresceu 13% em 2017 e puxou para o terreno positivo os números do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. O setor registrou o melhor resultado desde 1996, quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) iniciou a série histórica.

Os dados do PIB divulgados nesta quinta-feira (1º) mostram que a economia do país cresceu 1% no ano passado.

A supersafra do ano passado foi decisiva para a economia brasileira, segundo o economista Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV (Fundação Getulio Vargas).

— Houve uma safra muito boa de grãos e grande parte das nossas exportações tem a ver com exportações do setor agrícola. [...] Todo mundo estava achando há pouco tempo que a safra de 2018 não seria tão boa. Isso poderia mostrar o PIB da agropecuária decrescendo. Mas isso passou e a safra deverá ser tão boa ou melhor do que no ano anterior, que já foi um recorde.

A colheita recorde no campo também ajudou internamente, porque baixou o preço dos alimentos, que pressionam a inflação, especialmente para os mais pobres. Gastando menos com alimentação, as famílias puderam retomar o consumo, ainda que de modo lento.

O consumo das famílias cresceu 1% em 2017. O economista Claudio Considera acrescenta que esse movimento é fundamental para a retomada econômica. "Em torno de 60% do PIB vêm consumo das famílias", observa.

Consumo das famílias

O consumo das famílias cresceu 1% em 2017. O economista Claudio Considera acrescenta que esse movimento é fundamental para a retomada econômica. "Em torno de 60% do PIB vêm consumo das famílias", observa.

Já o professor de economia da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e do Ibmec-RJ Mauro Rochlin diz que além da redução da inflação, outros fatores contribuíram para que os brasileiros retomassem o consumo no ano passado.

— Tivemos a liberação das contas inativas do FGTS, aumento da massa salarial e uma melhora no crédito, com redução dos juros.

    Access log