Economia Aneel se reúne às 20h para discutir reajuste da bandeira vermelha 2

Aneel se reúne às 20h para discutir reajuste da bandeira vermelha 2

Agência deve definir abertura de consulta pública sobre o tema. Reajuste de 52% na cobrança extra foi aprovado a partir de agosto

Agência Estado - Economia
Valor da bandeira vermelha patamar 2 subiu de R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos para R$ 9,49 em julho

Valor da bandeira vermelha patamar 2 subiu de R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos para R$ 9,49 em julho

Agência Brasil

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) convocou reunião extraordinária para esta terça-feira (29), às 20h, para discutir a proposta de uma abertura de consulta pública para definição de um valor da bandeira vermelha patamar 2, que deve vigorar a partir de agosto, devido à crise hídrica.

Mais cedo, a agência aprovou um reajuste de 52% na bandeira vermelha patamar 2, que passou de R$ 6,24 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos para R$ 9,49 em julho. O valor, no entanto, não será suficiente para cobrir todos os custos do acionamento de térmicas, necessárias para garantir o abastecimento no país.

O reajuste aprovado nesta terça (29) está acima do que era previsto inicialmente em março, de 21%, mas contraria os cálculos da área técnica da agência reguladora. Os técnicos calcularam que o novo patamar da bandeira vermelha nível 2 deveria subir para algo entre R$ 11,50 e R$ 12,00 a cada 100 kWh.

Por conta da crise hídrica que o país enfrenta, os técnicos da Aneel estimam que a bandeira vermelha em seu segundo patamar, o mais caro do sistema de bandeiras, deverá ser acionada, pelo menos, até novembro.

O Ministério de Minas e Energia calcula que o uso de térmicas deve gerar um custo adicional de R$ 8,99 bilhões neste ano.

Últimas