Apenas 20% das obras estão paradas no Brasil, afirma Abrainc

Associação que representa as incorporadoras imobiliárias elogiou medidas da Caixa e anunciou auxílio de R$ 3.000 para quem comprar imóvel agora

Abrainc diz que obras tomam cuidados contra o coronavírus

Abrainc diz que obras tomam cuidados contra o coronavírus

Jacques Lepine/Estadão Conteúdo

Diante da crise econômica causada pela pandemia de coronavírus ao redor do planeta, a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) elogia a liberação de R$ 154 bilhões anunciada nesta quinta-feira (9) pela Caixa Econômica para auxiliar o setor e afirma que a a maior parte das obras seguem ativas no Brasil.

"Nós estamos com 80% das nossas obras andando. Os 20% das obras que estão parada estão localizadas em municípios onde você tem alguma medida para que não se trabalho", relata o presidente da associação, Luiz França.

Ele garante que as construtoras adotaram diversos procedimentos para impedir que o vírus se espalhe dentro das obras. "Tiram febre, adotaram turnos de almoço, cada um fica em um canto do imóvel e as pessoas quase não se veem na obra", afirma.

Leia também: Governo libera saque de R$ 1.045 do FGTS

Ao comentar a respeito das medidas da Caixa, França classifica o conjunto como “bem eficiente” para compradores e construtoras. “A Caixa preocupou com a capacidade de pagamento das pessoas e também com as empresas. No jargão técnico, ela se preocupou com o fluxo de caixa das pessoas”, avalia ele.

O presidente da Abrainc garantiu ainda que o período de 180 dias para que os novos compradores paguem as primeiras parcelas não vai atrapalhar o segmento. "Para os incorporadores que têm o plano empresário com a Caixa, eles estão também adiantando até três parcelas futuras de obras. Isso significa uma injeção importante em um momento em que o mercado não está parado”, comemora.

França afirma ainda que a movimentação atual vai permitir que a construção permaneça pronto para ajudar na retomada da economia após o fim da crise. "O setor da construção tem que estar forte para sustentar o crescimento econômico", avalia.

Auxílio de R$ 3.000

França anunciou ainda que as incorporadoras ligadas à Abrainc vão disponibilizar um auxílio de pelo menor R$ 3.000 para as pessoas que comprarem a casa própria neste momento. "Estamos dando um incentivo para o cliente na hora de adquirir o imóvel”, disse ele.

“A Caixa está fazendo um papel importante para movimentar o mercado e o setor produtivo está dando uma contrapartida em relação ao movimento da Caixa. [...] Cada incorporadora vai utilizar o voucher de uma maneira”, completa o presidente da Abrainc.