Banco dos Brics empresta R$ 5,34 bi para Brasil lidar com a pandemia

Recursos serão destinados ao programa de pagamento de auxílio emergencial do governo federal e poderão beneficiar 5 milhões de pessoas

Participação do Brasil no Banco salta de 8% para 13%

Participação do Brasil no Banco salta de 8% para 13%

Reuters

O NBD (Novo Banco de Desenvolvimento), instituição do fomento criada pelo grupo Brics, vai conceder um empréstimo de R$ 5,34 biilhões (US$ 1 bilhão) ao Brasil para combater os impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus, informou a instituição nesta segunda feira (20).

Segundo o banco, os recursos serão destinados ao programa de pagamento de auxílio emergencial do governo federal. O NDB estima que os recursos poderão beneficiar 5 milhões de pessoas que acessam o benefício voltado para trabalhadores informais, famílias de baixa renda e desempregados.

Leia mais: Câmara aprova criação de escritório do banco do Brics em SP

“O financiamento do NDB constitui ferramenta importante para o governo brasileiro assegurar uma resposta fiscal robusta de combate à pandemia e permitir que investimentos prioritários sejam efetuados, apoiando assim a retomada econômica”, disse o NDB em nota.

De acordo com o banco do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, a linha de US$ 1 bilhão vai se somar a financiamentos de outros cinco bancos multilaterais e agências internacionais de desenvolvimento, como Banco Mundial e Banco Interamericano de Desenvolvimento, totalizando US$ 4 bilhões em empréstimos.

“A operação emergencial do NDB para o Brasil contribuirá para fortalecer mecanismos de proteção social e enfrentar impactos socioeconômicos da pandemia, particularmente sobre a população mais vulnerável”, afirmou Marcos Troyjo, presidente do NDB.

"A operação também marca importante conquista do governo brasileiro e do NDB na colaboração com outros bancos multilaterais e agências de desenvolvimento, que uniram esforços para combater a covid-19 no país", acrescentou.

O NBD informou que o empréstimo ao Brasil é a quarta operação voltada aos países-membros para minimizar os impactos do coronavírus. Já foram concedidos financiamentos semelhantes para China, Índia e África do Sul.

Com o novo financiamento ao Brasil, a carteira de projetos aprovados pelo NDB no país desde sua criação totaliza US$ 2,55 bilhões. A participação do Brasil no portfólio total do Banco pula, assim, de 8% para 13%.