Economia Banco Mundial teme que choque de energia siga até 2023

Banco Mundial teme que choque de energia siga até 2023

Presidente da instituição citou dificuldades no setor de fertilizantes relacionadas à guerra entre Ucrânia e Rússia

Torre de transmissão de energia em São Paulo

Torre de transmissão de energia em São Paulo

Edu Garcia/R7 - 08.03.2022

O presidente do Banco Mundial, David Malpass, afirmou que o desarranjo observado atualmente no setor de energia é uma preocupação muito presente em seu radar. Segundo ele, esse choque pode "perdurar no próximo ano".

Malpass ainda mencionou as dificuldades no setor de fertilizantes relacionadas à guerra entre Ucrânia e Rússia, que desestabilizou algumas cadeias do setor, problema agravado ainda pelas sanções econômicas impostas aos russos.

A declaração do presidente da instituição financeira internacional foi dada durante evento para marcar o lançamento de um relatório sobre a importância de se manter o comércio aberto, com a intenção de ajudar a lidar com desafios como a alta recente nos preços de alimentos.

O relatório foi elaborado em conjunto pelo Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional (FMI), Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e Organização Mundial de Comércio (OMC) - e está disponível nos sites das entidades.

Presente no evento, a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, destacou como risco a existência de "múltiplos choques simultâneos" na economia global.

Segundo ela, há uma "inabilidade comprovada nossa em lidar com mais de uma crise por vez".

Últimas