Bancos e Bolsa de Valores abrirão normalmente durante feriados

Anúncios da Febraban e da B3 surgem após decisão da prefeitura de São Paulo de antecipar o calendário de feriados no município

Bolsa opera em horários regulares de 20 a 25 de maio

Bolsa opera em horários regulares de 20 a 25 de maio

Rafael Matsunaga/Flickr/Abril de 2007

Os principais bancos brasileiros e a B3 funcionarão normalmente nesta semana apesar da antecipação de feriados na cidade de São Paulo nos próximos dias decretada como medida para conter a disseminação do novo coronavírus.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) disse que nos dias 20 e 21 de maio as instituições financeiras associadas manterão atividades inalteradas.

Já a B3 afirmou que manterá suas atividades de registro, negociação, custódia, compensação e liquidação de operações, em horários regulares, em 20, 21, 22 e 25 de maio.

Leia mais: Pesquisa diz que 60% tiveram piora financeira em SP

Os anúncios vieram após decisão da prefeitura de São Paulo de antecipar o calendário de feriados no município, bem como diante da possibilidade de antecipação do feriado estadual de 9 de julho.

Mais cedo, o BC (Banco Central) já havia informado que, para fins de operações praticadas no mercado financeiro, o dia 11 de junho — data do feriado de Corpus Christi no calendário nacional — ocorrerão normalmente.

O governador de São Paulo, João Doria anunciou na segunda-feira que encaminharia à Assembleia Legislativa proposta para antecipar o feriado estadual de 9 de julho para a segunda-feira da próxima semana.

Veja mais: Agências da Caixa vão abrir em cidades que anteciparam feriados

Nesta terça-feira, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, sancionou proposta dele, aprovada pela câmara de vereadores na véspera, de antecipar os feriados de Corpus Christi e da Consciência Negra para quarta e quinta-feira desta semana, com a decretação de ponto facultativo na sexta.

Procurada, a prefeitura de São Paulo afirmou que por se tratar de feriado municipal não há proibição para o funcionamento de Bolsa de Valores e instituições financeiras, e acrescentou que é uma decisão dessas empresas funcionarem ou não, estando elas sujeitas a adequações trabalhistas. O governo de São Paulo não respondeu a pedido de comentário.

Dez entidades associadas à CNF (Confederação Nacional das Instituições Financeiras) enviaram carta conjunta ao governo de São Paulo sugerindo que as instituições integrantes do sistema financeiro nacional ficassem de fora dos efeitos da antecipação dos feriados.

Entre os argumentos, entidades como Febraban, Abecip, Anbima, B3 e Ancord citam que o eventual fechamento de agências bancárias coincidiria com os desembolsos do auxílio emergencial prestado pelo governo federal, cujo pagamento da segunda parcela iniciou-se na segunda-feira.

"A grande questão do feriado é a surpresa. Ser pego de surpresa não é algo que os investidores costumam gostar", afirmou o analista Ilan Arbetman, da Ativa Investimentos.

"As perdas seriam, não só para a bolsa, como para o investidor. Tanto para o investidor de renda fixa, cujas rentabilidades são aplicadas em dias úteis, como os investidores de renda variável, que sem pregão, ficam sem liquidez para suas posições. Ambos acabariam sendo impactados, e justamente num momento onde o nível de transações tem aumentado."