BB segue Copom e reduz taxas para pessoas físicas, jurídicas e imóveis

O Banco do Brasil, seguindo a decisão divulgada nesta quarta-feira, 5, pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que cortou em 0,25 ponto a taxa básica de juros, para 4,25% ao ano, vai reduzir os custos de suas linhas de crédito para seus clientes.

No produto home equity, linha com garantia de imóvel, e crédito estruturado, que usa como garantia recursos aplicados no banco, o BB passa a cobrar taxas mínimas entre 0,94% e 1,20% ao mês, ante 1,30% a 1,38% cobrados anteriormente.

Para empresas, os descontos de cheque e títulos, além da antecipação a lojistas, passam a ter taxas mensais de 1,19%, 0,93% e 0,88%, respectivamente, antes os juros anteriores de 1,32% para desconto de cheques, 1,04% para títulos e 0,94% para antecipação a lojistas.

No capital de giro, os juros mensais mínimos passam de 1,22% para 1,12%. A conta garantida passa a ter taxa de 2,27% ao mês, ante 2,36%.

No crédito imobiliário, os juros anuais passam de 7,20% para 6,99%, no patamar mínimo. O banco ressalta que as novas condições variam de acordo com o perfil do cliente.